quinta-feira, 17 de novembro de 2016

TCU dá aval para obra, mas não há recurso para obra do BRT

17/11/2016 - O Povo - CE

Prometida para começar em 2014, a intervenção do Bus Rapid Transit (BRT) do trecho Senador Fernandes Távora/Expedicionários recebeu aval do Tribunal de Contas da União (TCU). A obra terá três etapas, indo do Terminal do Conjunto Ceará até a Praça Coração de Jesus, no Centro, mas não chegou a iniciar efetivamente, tanto por falta de recurso da União para a Prefeitura, quanto por apresentar o que o TCU considera “irregularidades graves”.

As intervenções podem ser retomadas em função de esclarecimentos prestados pela Secretaria Municipal da Infraestrutura (Seinf) ao TCU, referentes ao cálculo do dimensionamento do pavimento e estudos de viabilidade.

Nem todas as irregularidades foram sanadas e ministros do Tribunal pediram esclarecimentos, com resposta em 15 dias, da Seinf e seus gestores, da Tecnologia em Construções (Tecnocon) - responsável pela obra - e da Caixa Econômica Federal (CEF).

Segundo o Tribunal, ainda há irregularidades em relação ao projeto básico do trecho I, no que concerne à ausência de aprovação; estudos sobre melhor solução técnica e econômica dos materiais das camadas dos pavimentos; estudos sobre interferências; estudos de desapropriação; e levantamento de jazidas de solo e de brita da região. Além de suspeita de sobrepreço, restrição à competitividade da licitação; licitação e contratação do trecho sem aprovação prévia do projeto pela CEF; e início das obras sem Autorização de Início de Execução do Objeto (AIO).

“Quase tudo que o TCU levantou a gente explicou. Mas como o projeto é antigo, nem tudo estava disponível. Depois passamos todos os elementos ao TCU, mas, como ele tinha prazo para fazer a lista de obras com paralisação no Brasil, o TCU fez a publicação antes de terminar a análise dos elementos que enviamos. Mas, já com os primeiros esclarecimentos, eles já mudaram a classificação da obra de paralisação para continuidade”, explica Samuel Dias, titular da Seinf.

Hoje, com nova classificação, a Prefeitura já teria condição de iniciar obra. “Mas não há recurso da União. É bom que vamos esperar o relatório final do TCU e se tiver alguma diligência temos tempo para deixar o contrato redondo”. Sem recurso, o BRT somente será iniciado se a Prefeitura conseguir financiamento de contrapartida, orçado em cerca R$ 96,291 milhões.

Em resposta ao O POVO, o TCU informou que expediu pedidos de manifestação da Seinf, CEF e Tecnocon e aguarda as respostas. “Os prazos contam a partir da notificação. Após recebê-las, serão analisadas pelo tribunal e o relator se manifesta novamente”, informou em nota. A CEF disse que não foi notificada pelo tribunal. A Tecnocon não retornou até o fechamento desta edição.

Trecho I

No trecho I, houve apenas drenagem no valor de R$ 270.076,73. Ainda é necessária a obtenção da AIO do Ministério das Cidades/CEF. O projeto básico data de 2003 e sofreu alterações no trecho I, por meio de revisão de técnicos da CEF, em que 38,13% do valor total da etapa foi suprimido e 6,4% foi acrescido, alterando o valor do contrato de R$ 30.260.434,01 para R$ 20.672.448,82. 

Saiba mais

Trecho 1 do BRT Irá da avenida D do Conjunto Ceará ao Terminal da Lagoa, com extensão de 5,7 km e cujas obras já foram licitadas, mediante o Edital RDC Presencial 8/2015, e contratadas por regime de empreitada por preço unitário, pelo valor inicial de R$ 30.260.434,01, alterado, por meio do 1º Termo Aditivo, para R$ 20.672.448,82

Trecho 2 irá do Terminal da Lagoa até a avenida Expedicionários, com extensão de 4,8 km e previsão de investimentos de R$ 158,1 milhões (obras: R$ 79,7 milhões; projetos: R$ 2,9 milhões; gerenciamento: R$ 1,4 milhão; trabalho social: R$ 3,1 milhões para trabalho social; e desapropriações/ reassentamentos: R$ 71,0 milhões)

Trecho 3 irá da avenida Expedicionários, segue até a rua Barão do Rio Branco e Senador Pompeu, com extensão de 5,2 km e previsão de investimentos de aproximadamente R$ 19,9 milhões (obras: R$ 18,7 milhões; projeto: R$ 0,8 milhão; gerenciamento: R$ 0,4 milhão)

Para o projeto há previsão de repasse do Orçamento Geral da União (OGU) de R$ 100 milhões, e da aplicação, a título de contrapartida, de R$ 96,291 milhões, totalizando o valor do investimento em R$ 196,29 milhões. De acordo com a Carta Consulta aprovada pelo Ministério das Cidades, R$ 125,3 milhões serão destinados às obras, ao trabalho social, ao projeto e ao gerenciamento e R$ 71,0 milhões às desapropriações

Obras prioritárias da Prefeitura para os próximos 4 anos

Para os próximos quatro anos da gestão do prefeito reeleito, Roberto Cláudio (PDT), os projetos prioritários no âmbito da infraestrutura são aqueles com garantia de recurso por meio de financiamento nos órgãos nacionais ou internacionais. O que inclui os corredores de transporte (BRTs), drenagem e saneamento.

Até este ano, a Prefeitura afirma que executou cerca de R$ 200 milhões em obras de drenagem e saneamento. A partir do próximo ano, promete mais R$ 300 milhões. O montante está sendo captando junto a Corporação Andina de Fomento (CAF) e à Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD). As obras abrangerão principalmente as periferias (Regionais V e VI e um pouco da III IV).

“O projeto começou com a CAF e decidimos dividir, porque a AFD está com muito interesse de financiar projetos em Fortaleza. Fortaleza atrai muito financiamento de organismos internacionais, porque tem as contas em dia e capacidade de endividamento e tem muito o que fazer. Eles se interessam quando mostramos os tipos de projetos e o alcance”, diz Samuel Dias, secretário da Infraestrutura do Município.

Para o projeto de drenagem e saneamento, já houve aprovação do financiamento da CAF na Câmara de Vereadores. Agora, com o a AFD também vai entrar no processo, a Prefeitura precisa enviar à Câmara pedido de autorização do empréstimo.

”Semana passada a gente fez os trâmites na Secretaria de Assuntos Internacionais do Governo Federal para aprovação desse financiamento. Vamos inserir a AFD dentro da autorização. Autorizando,aí vem a etapa da secretaria do Tesouro Nacional”, diz. Como a União entra como garantidora do empréstimo,passa por autorização do Governo Federal.

Em relação aos BRTs, tem-se planejado o corredor Messejana/Centro, já em execução com as obras da avenida Aguanambi. Este orçado em R$ 250 milhões. Além do BRT da Augusto dos Anjos/José Bastos, com financiamento do BNDES já aprovado pelo banco e que ligará o bairro Siqueira ao Centro. Para este, estão previstos R$ 243 milhões. 

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Ônibus em Recife leva sete bicicletas ao mesmo tempo

12/10/2016 - Diário do Transporte

Adamo Bazani - Diário do Transporte

O consórcio Grande Recife de Transporte começou a testar em mais uma linha desde o último domingo, um ônibus especialmente adaptado que tem condições de transportar sete bicicletas ao mesmo tempo.

Trata-se do projeto Leva Bike. O veículo é da empresa Mobibrasil e faz a linha 2446 – UR-07 Terminal/ Ponto de Retorno.

Só é possível levar as bicicletas aos domingos. O passageiro com a bicicleta entra pela porta traseira desse ônibus, que é o único na linha, coloca o equipamento em um dos suportes na parte interna traseira do veículo, vai até o cobrador, faz o pagamento da passagem e roda a catraca. A linha atende vias importantes do centro de Recife.

As partidas deste ônibus ocorrem às 5h30, 07h, 09h20, 10h40, 12h20,14h, 15h40 e 19h45.

O valor da tarifa é a mesma cobrada dos demais passageiros. No mês de agosto, houve testes do Projeto Leva Bike na linha 2410 – Parque Capibaribe/TI TIP.

O trajeto da linha 2446 – UR-07 Terminal/ Ponto de Retorno é o seguinte:

erminal/ Ponto de Retorno:

Rua Serra Nova, Rua Roraima, Rua Tambiá, Rua Vale do Sirigi, Rua Diogo de Vasconcelos, Rua Gastão Vidigal, Avenida Joaquim Ribeiro, Ponte Marechal Humberto Castelo Branco, Avenida Caxangá, Praça Conselheiro João Alfredo, Rua Benfica, Praça Euclides da Cunha, Avenida Doutor Severino Pinheiro, Ponte Estácio Coimbra(Ponte do Derby) Praça do Derby( Pista Central), Avenida Governador de Lima Cavalcanti, Avenida Conde da Boa Vista, Ponte Duarte Coelho, Avenida Guararapes.

Ponto de Retorno/ Terminal:

Avenida Dantas Barreto( Pista  Oeste), Rua Siqueira Campos, Rua Cleto Campelo, Avenida Guararapes, Ponte Duarte Coelho, Avenida Conde da Boa Vista, Rua Dom Bosco, Rua Joaquim Nabuco,  Ponte da Capunga, Rua José Osório,  Rua Real da Torre,  Avenida Caxangá, Ponte Marechal Humberto Castelo Branco, Avenida Joaquim Ribeiro, Rua Gastão Vidigal, Rua Diogo de Vasconcelos, Rua Vale do Sirigi, Rua Tambía, Rua Roraima, Rua Serra Nova.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Sistema de integração dos ônibus passa por nova mudança em Teresina

12/10/2016  - G1 Piauí

Funcionando ainda em caráter experimental, o sistema de integração dos ônibus urbanos de Teresina vai passar por mais uma mudança. A novidade é que agora vai ser é que a integração nos Terminais do Dirceu e do Livramento será feita somente com o cartão eletrônico. A mudança começa a valer já nesse fim de semana.

Não será mais permitido a utilização do Bilhete de Ocorrência. Segundo Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans), a uma alteração é para facilitar a integração no começo do funcionamento do novo sistema. As pessoas que ainda não têm o cartão, seja ele do estudante, do trabalhador ou o expresso deve adquiri-lo o mais rápido possível, pois somente assim poderão utilizar os benefícios do sistema de integração.

“Com o cartão você vai pagar a primeira e a segunda não será debitado, por isso a necessidade da utilização do cartão. Ele vai estar acessível para ser adquirido nos terminais e dessa forma não vamos mais aceitar o bilhete de ocorrência”, explicou Cintia Machado, diretora de Transporte Público da Strans.

O sistema de integração da Zona Sudeste está há dois meses em funcionamento de forma experimental. Para chegar em outras áreas os 143 mil passageiros precisam usar o cartão eletrônico para poder fazer a integração que já passa a entrar em funcionamento no próximo sábado.

A integração ainda divide opiniões da população que precisa diariamente do transporte público. Segundo um popular, que não foi identificado, não teve diferença. “Foi informado que iria melhorar, mas até agora não teve diferença”. Já para outra consumidora, que também não foi identificada,  teve sim uma melhora. “Melhorou bastante”.

sábado, 17 de setembro de 2016

Salvador: BRT será operado por empresas convencionais

16/09/2016 - A Tarde

Yuri Silva

Contrato de financiamento do trecho 1 foi assinado nesta sexta - Foto: Agecom-PMS | Divulgação
Agecom-PMS | DivulgaçãoContrato de financiamento do trecho 1 foi assinado nesta sexta - Foto: 

O sistema soteropolitano de BRT (bus rapid transit, na sigla em inglês) será operado pelas mesmas empresas de transporte que controlam as linhas de ônibus de Salvador desde 1992. As 12 organizações que venceram a licitação dos ônibus urbanos em 2014 formam três consórcios desde então, por exigência do edital elaborado pela Secretaria de Mobilidade (Semob).

A informação de que as empresas também vão operar os novos corredores exclusivos para ônibus, que já constava no art. 28.4 do edital, foi ratificada nesta sexta-feira, 16, pelo prefeito ACM Neto, em coletiva de imprensa no Palácio Thomé de Souza, durante a assinatura do contrato de financiamento do primeiro trecho do BRT pela Caixa Econômica Federal (CEF).

"Não vamos inventar a roda, não vai existir uma operação específica para o BRT. A ideia é que o sistema do BRT seja operado pelo atual sistema de ônibus", disse Neto ao ser questionado sobre o "monopólio" das empresas de ônibus na cidade.

Ele também destacou que os coletivos utilizados pelo novo sistema serão articulados, com capacidade para 170 passageiros, portas largas e comprimento de 23 metros - configurações diferentes dos convencionais, apesar da operação pelas mesmas empresas. O secretário de Mobilidade, Fábio Mota, afirmou, ainda, que os novos veículos contarão com ar-condicionado.

Projeto

No evento, que contou com o ministro-chefe da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, técnicos da Secretaria da Casa Civil detalharam o projeto, que ligará a região do Iguatemi à Estação da Lapa quando os dois primeiros trechos  estiverem concluídos. Um terceiro trecho, apresentado ontem pela primeira vez, ligará o Parque da Cidade ao Itaigara.

A previsão é que as obras sejam iniciadas em até quatro meses, após licitação para escolher quem comandará as intervenções. Já o funcionamento pleno do sistema está programado para março de 2019, segundo o secretário de Mobilidade, Fábio Mota.

A divisão do projeto em três etapas foi estratégia do município para facilitar a captação de recursos federais, segundo a prefeitura. Após a assinatura de ontem, a CEF liberou R$ 408 milhões para a construção do trecho 1 do modal (do Iguatemi ao Parque da Cidade).

O trecho 2, entre o Parque da Cidade e a Lapa, custará R$ 412 milhões, sendo R$ 300 milhões recursos do Orçamento Geral da União (OGU), que serão repassados pelo Ministério das Cidades, e R$ 112 milhões do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Impactos

Percorrendo 10 quilômetros, o BRT de Salvador  também  implicará intervenções no trânsito de áreas sensíveis da cidade - com a construção de quatro viadutos, quatro elevados e 11 estações -, apontados pela prefeitura como solução para problemas de engarrafamento.

Segundo a Semob, metade da população da cidade faz o percurso entre o Iguatemi e a Lapa pelo menos duas vezes por semana. Atualmente, conforme o órgão municipal, os usuários levam uma hora e meia para chegar ao destino final nos horários de pico.

"Com o BRT, esse tempo cairá para 16 minutos", garante o titular da pasta, Fábio Mota. Para o prefeito ACM Neto, a nova obra "vai melhorar a qualidade de vida da população".

terça-feira, 12 de julho de 2016

Entenda como funciona o novo sistema de integração de Teresina

10/07/2016 - G1 PI

Fase de adaptação vem sendo feita na Zona Sudeste da capital. Cerca de 12 novos ônibus com ar-condicionado devem passar a circular

Beto Marques

Zona Sudeste é primeira beneficiada com o Inthegra  (Foto: Beto Marques/G1)
Zona Sudeste é primeira beneficiada com o Inthegra  (Foto: Beto Marques/G1)Zona Sudeste é a primeira beneficiada com o Inthegra. Foto: Beto Marques/G1

Muitos usuários ainda têm dúvidas sobre o novo sistema de transporte público de Teresina, cuja fase de adaptação iniciou no sábado (2). A Zona Sudeste foi a primeira a ser contemplada com a inauguração dos terminais de integração Livramento e Itararé, que funcionarão em fase experimental aos fins de semana durante dois meses.

Ainda como parte do sistema batizado de Inthegra, corredores exclusivos para ônibus estão sendo finalizados em diversas avenidas da capital. Por isso, o G1 Piauí buscou informações para explicar como vai funcionar este novo modelo.

O sistema segue o modelo de linhas 'tronco-alimentadoras', onde os usuários pegam um ônibus em seus respectivos bairros e se deslocam até um Terminal mais próximo. Dos terminais, eles pegam outro ônibus, as chamadas de 'linhas troncais', com destino ao Centro da capital, passando por diversas vias ou pelos shoppings.

Saiba o que é o Inthegra (Foto: Reprodução)
Saiba o que é o Inthegra (Foto: Reprodução)

Muitos usuários alegam falta de informação e ficaram receosos de aderir à nova integração. Residente no bairro Alto da Ressurreição, André Gerson optou por pegar uma van, temendo chegar atrasado ao trabalho.

“As paradas estavam lotadas no sábado. Não posso chegar atrasado ao trabalho, por isso preferi não arriscar. Achei sem lógica ter que pegar um ônibus para o terminal e depois ter que vir pela avenida Barão de Gurgueia, onde desço”, disse.

O gerente de planejamento da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (Strans) explicou alguns pontos. Ele garante que as mudanças reduzirão consideravelmente o tempo das viagens.

Novas linhas e terminais

Em um bairro, por exemplo, que era atendido por uma única linha, agora possui a linha 'alimentadora' que seguirá até o terminal de integração mais próximo. De acordo com o gerente de planejamento, o novo modelo possibilita que o ônibus circule mais vezes pelo bairro, reduzindo o tempo de espera nas paradas.

“A cidade vai crescendo e, consequentemente, aumenta a distância das linhas. Hoje, o que se tem são as linhas radiais que fazem a ligação direta, saindo da parada final nos bairros indo para o Centro. Com os terminais, as linhas que passavam pelos bairros serão transformadas em alimentadoras e se antes demoravam até 40 minutos para passar, esse tempo passa a ser de até 15 minutos”, explica.

Assim, os usuários irão até os terminais de integração e de lá terão outras possibilidades. O primeiro final de semana de adaptação, entre sábado (2) e domingo (3), foi avaliado de forma positiva pela Strans. Segundo o órgão, os impactos gerados já eram previsíveis, mas ainda é necessário que a população fique atenta ao funcionamento do novo sistema.

Por enquanto, quem sai dos bairros Alto da Ressurreição, Parque Ideal, Renascença, Extrema, Comprida, Parque Jurema, Redonda, Parque Itararé, Boa Esperança, Dirceu I e II e Novo Horizonte já pode usar as novas linhas. A Strans prevê ainda ampliar o Inthegra aos demais bairros da Zona Sudeste, região escolhida para o primeiro período de ajustes.

“Devemos passar estes dois meses fazendo operações nas linhas da Zona Sudeste e, antes de terminar este período, poderemos fazer uma ampliação de bairros atendidos. Posteriormente, quando percebermos que o usuário está por dentro do novo modelo, faremos a extensão para os dias úteis. A intenção é minimizar qualquer tipo de impacto na rotina do passageiro”, destaca Vinícius Rufino.

Quem vai para o Terminal do Itararé poderá pegar linhas que passarão pela as avenidas Barão de Gurgueia ou Miguel Rosa. Já no Terminal do Livramento, o usuário terá à disposição linhas que seguirão pelo bairro São Cristóvão, Ponte Wall Ferraz ou Shoppings.

Linhas e terminais do Inthegra (Foto: Reprodução)
Linhas e terminais do Inthegra (Foto: Reprodução)

Pagamento somente com cartões

O passageiro precisa ficar atento. Com este novo modelo não é possível fazer o pagamento da tarifa no valor de R$ 2,75 em dinheiro. Agora, são aceitos apenas os cartões: Vale-Transporte (para os trabalhadores), Estudantil (para estudantes) e Expresso (para usuários em geral).

O cartão expresso pode ser adquirido com os cobradores das linhas troncais e alimentadoras nos postos de vendas instalados nos terminais Livramento e Itararé. Eles estão à venda por R$ 10 com dois créditos disponíveis.

Alguns problemas foram identificadas nos primeiros dias de adaptação. Muitos passageiros chegaram aos terminais sem os cartões ou tiveram mais de um crédito debitado. Segundo a gerência de planejamento da Strans, isso aconteceu porque foi instalado um novo equipamento de leitura dos créditos.

Os usuários que estavam sem o cartão foram liberados pelos fiscais da Strans. Em casos de cobranças indevidas, eles tiveram que acionar o Setut. “O passageiro não pode e nem vai ficar com prejuízo. Quem teve este problema pode se dirigir ao Setut que a passagem será ressarcida”, garante Vinícius Rufino.

Todos os ônibus do sistema devem receber estes novos equipamentos. O transporte mudou e agora está equipado com modem 3G e GPS, sendo o responsável por fazer o monitoramento da linha. A localização do ônibus será acompanhada através de aplicativos, como o StarBus e Moovit, que oferecem informações aos usuários, ajudando a evitar os atrasos.

Veículos novos

Outra novidade prevista no Inthegra é o uso de novos ônibus. Nesta primeira fase, somente na Zona Sudeste, foram 12 novos veículos destinados para as linhas troncais que circularão aos finais de semana e durante a semana nas linhas radiais, até que seja encerrada a fase de adaptação. Para a segunda etapa, estão previstos mais de 12 veículos.

A notícia foi comemorada pela copeira Claudia Cantuário. Para ela, é de extrema importância que o sistema de transporte público de Teresina atenda a todos os usuários sem provocar atrasos.

“Moro no Novo Horizonte, trabalho no bairro São Pedro e demoro cerca de 40 minutos para chegar ao trabalho. Se o tempo de espera diminuir e se os ônibus que virão para o Centro forem com ar-condicionado será uma mudança excelente”, disse Claudia Cantuário que trabalha como copeira.

Cerca de 20 mil passageiros devem ser beneficiados no Terminal do Itararé e outros 15 mil no Terminal do Livramento.

Linhas circulares serão extintas

As linhas circulares como Rodoviária I e II e Universidade I e II deverão serão extintas no atual sistema. O usuário terá agora que usar as linhas que farão a ligação entre os terminais das diferentes zonas da cidade.

Por exemplo, se o passageiro está no Dirceu e deseja ir para a Universidade Federal do Piauí, ele deverá pegar um ônibus no terminal mais próximo à sua casa para o terminal da Santa Isabel, Zona Leste, e de lá pegar outro para o campus da universidade, localizado no bairro Ininga.

Paradas ficaram lotadas após paralisação (Foto: Ellyo Teixeira/G1)
Usuários reclamam de lotações. Foto: Ellyo Teixeira/G1

Já as linhas diametrais, que ligam a Zona Norte a Zona Sul, por exemplo, terão uma nova distribuição. Elas não passarão pelo Centro de Teresina e o usuário deverá se deslocar aos terminais através das respectivas zonas através de novas linhas e de lá pegarão linhas alimentadoras para os outros bairros mais distantes.

Esta é uma fase posterior. Por enquanto, a Strans trabalha para fazer com o que sistema opere a contento em toda a Zona Sudeste.

“O tempo de espera se torna muito menor. Gera um impacto sim. O passageiro ainda estranha ter que descer em um terminal e pegar outro ônibus. Eventualmente ele terá que esperar este outro ônibus. Mas o tempo de espera somado ao tempo de percurso, considerando que muitas linhas foram remodeladas, se torna bem menor”, garante Vinícius Rufino.

Corredores exclusivos

Quem passou pelas avenidas Miguel Rosa, Barão de Gurgueia, João XXIII e Presidente Kennedy, percebeu que estações de passageiros vêm sendo construídas nos canteiros centrais das vias. A Avenida Frei Serafim também passará por alterações. 

 Corredores exclusivos e estações de passageiros estão em obras  (Foto: Beto Marques/G1)Corredores exclusivos e estações de passageiros estão em obras (Foto: Beto Marques/G1)

A estrutura contará com climatização e deve entrar em pleno funcionamento nos próximos meses. Nelas, o passageiro vai desembarcar nas portas esquerdas laterais, que já são encontradas em alguns veículos. Com isso, os pontos de ônibus localizados nas calçadas serão extintos.

“Esses corredores servem para dar agilidade às linhas que vêm dos terminais. Neles, só trafegam ônibus urbano municipal, sem concorrência com carros de passeio. Vamos ter paradas a cada 500 metros, com pontos mais bem estruturados e com conforto maior ao passageiro, que contará com ar-condicionado”, explica Vinícius Rufino.

A Avenida Frei Serafim, Centro de Teresina, também contara com um corredor exclusivo. A preocupação gira em torno da deterioração do canteiro central da via, tido como patrimônio da cidade.

“É necessário que se faça este corredor, pois será eliminada uma série de dificuldades que temos hoje, como a faixa semi-exclusiva que não dá uma agilidade tão eficiente. O grau de intervenção não deve ser grande e não está programado quebrar um lado inteiro do canteiro para construir os pontos de embarque e desembarque. Os pontos de embarque e desembarque serão instalados próximos aos sinais”, destaca Vinícius Ferreira. 

Terminal ja inaugurado na Zona Sudeste de Teresina (Foto: Beto Marques/G1)Terminal ja inaugurado na Zona Sudeste de Teresina (Foto: Beto Marques/G1)

Novos terminais de integração

Teresina deverá ganhar até o final do ano mais três terminais de integração, como prevê o cronograma da Strans. São eles: Bela Vista, na Zona Sul, que está praticamente pronto, e dois na Zona Norte, um no bairro Buenos Aires e outro localizado na Rua Rui Barbosa, no bairro São Joaquim.

O cronograma previa que a Zona Sul fosse a primeira contemplada. Isto porque o Terminal do Parque Piauí, teve obras paradas por conta de impasse judicial provocado pela derrubada de árvores na área a ser construída. A Strans informa que já tem autorização para o início da obra. Entretanto, ainda não visualiza o início do serviço.

A Zona Leste deve ser a última beneficiada com a mudança para o Inthegra. As mudanças deverão ser gradativas, até que os oito terminais estejam em pleno funcionamento.

sexta-feira, 10 de junho de 2016

TI Joana Bezerra aumenta em 665% receita da estação de metrô

Cerca de três mil pessoas entravam no antigo terminal sem pagar passagem

10/06/2016 - Jornal do Commercio Online
    
Novo terminal foi inaugurado no domingo e aprovado pelos usuários / Sérgio Bernardo/JC Imagem
Novo terminal foi inaugurado no domingo e aprovado pelos usuários / Sérgio Bernardo/JC Imagem
Sérgio Bernardo/JC Imagem
Margarette Andrea

A entrada em operação do novo Terminal Integrado Joana Bezerra, no último domingo (5), repercutiu diretamente na receita do metrô. Conforme informação da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) no Recife, a arrecadação nas bilheterias locais passou de uma média de R$ 680 ao dia para R$ 5,2 mil, um crescimento de 665%. Isso porque cerca de 3 mil pessoas que entravam sem pagar, pelos portões do terminal, agora não encontram mais essa opção.

Passageiros com muitas dúvidas no primeiro dia útil do TI Joana Bezerra

“Não é só uma questão financeira, há também o aspecto de moralização do sistema”, salienta o superintendente da CBTU Recife, Leonardo Vilar Beltrão. Segundo ele, esta era a única integração que apresentava visível evasão de receita e não se conseguia combater, pela sua própria característica física, de fácil acesso. Quem antes entrava no terminal andando hoje opta pelo metrô, porque a passagem é mais barata – R$ 1,60 contra R$ 2,80 dos ônibus. Vale salientar que há dez linhas na área externa ainda não integradas.

O diretor de operações do Grande Recife Consórcio de Transportes (GRCTM), André Melibeu, admite que o resultado “era extremamente previsível”. “Chegamos a trabalhar com seis vigilantes, mas não conseguíamos combater a evasão”, diz. “Agora temos uma estrutura totalmente diferente e trabalhamos com sete vigilantes e três porteiros por turno, além de os portões serem fechados. Acreditamos que vamos conseguir manter essa situação.”

O Terminal Integrado Joana Bezerra levou cerca de quatro anos em construção e custou R$ 11 milhões. A operação é a mesma do antigo: dez linhas que circulam com 115 veículos e realizam 1.198 viagens ao dia. Mas a estrutura é bem diferente. Em vez de uma calçada repleta de paradas (ainda a serem demolidas), tudo bastante degrado, o novo equipamento tem uma área de 4 mil metros quadrados, com 12 plataformas de embarque (8) e desembarque (4), lanchonete, boxes, banheiros acessíveis, central de atendimento ao cliente e piso tátil – para orientação de pessoas com deficiência visual.

O GRCTM ainda não avaliou se houve aumento de usuários, mas são mais de 48 mil ao dia. Como a estrutura é em forma de U, muita gente se arrisca atravessando em meio aos ônibus para chegar ao outro lado, em vez de seguir pela base. Por isso, uma grade está sendo colocada no canteiro central.

“Ficou muito melhor aqui, mais organizado, inclusive nas filas. Mas na segunda-feira me deram um empurrão e levei uma queda danada”, observa a doméstica Lindaci Maria da Silva, 53 anos. Já a gastrônoma Vânia Lourenço, 33, diz que o respeito às filas só durou dois dias. “Já estão invadindo tudo”, conta. A ambulante Tatiana Nascimento, 34, diz ter melhorado até para eles, “por ter mais espaço” do lado de fora.

Além da passagem comprada diretamente em suas bilheterias, o metrô recebe cerca de R$ 2 milhões por mês de usuários que passam seus bilhetes eletrônicos (VEM) nas catracas. Neste caso, os recursos vão para a conta do GRCTM e só depois retornam. O repasse vem sendo feito, mas há uma pendência de R$ 50,1 milhões dos anos de 2014 e 2015, já solicitadas ao governador Paulo Câmara pelo ministro Bruno Araújo, em sua visita no domingo.

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Estação de BRT do Derby funciona pela metade

09/06/2016  - Diário de Pernambuco

Mesmo concluída em sua estrutura física, uma das plataformas da Estação de BRT do Derby, que integra o Corredor Leste Oeste, não tem funcionalidade para a população, além de servir como abrigo. O módulo que fica mais próximo da Avenida Agamenon Magalhães serve apenas de passagem para quem quer acessar o segundo módulo, onde concentra todo o entra-e-sai dos passageiros do Sistema Via Livre, oriundos do corredor da Avenida Caxangá ou dos que vêm pela Avenida Conde da Boa Vista. A população reclama porque, sobretudo nos horários de pico, a segunda plataforma fica sobrecarregada com o embarque e desembarque das três linhas que estão operando atualmente no Leste Oeste.

“Essa parada fica muito cheia e o calor é insuportável, sobretudo à noite, porque a primeira estação só serve de passagem. Eu acho que, enquanto o corredor não fica todo pronto, pelo menos poderiam distribuir as linhas nas duas plataformas, ou deixar uma para embarque e outra para desembarque”, desabafa a estudante Emily Karen, 19 anos, que utiliza diariamente o sistema.

O Grande Recife Consórcio de Transporte Metropolitano afirmou, contudo, que não há a possibilidade de uso da primeira plataforma da Estação de BRT do Derby, até que o Corredor Leste/Oeste passe a operar em sua totalidade. Enquanto isso, o módulo mais próximo da Avenida Agamenon Magalhães servirá apenas de entrada e de passagem para os usuários do sistema no Derby. “Mais quatro linhas ainda faltam operar no Corredor Leste Oeste. Elas dependem da inauguração de dois terminais de ônibus, o da 3ª e o da 4ª Perimetral. Quando acontecer a inauguração, essas linhas passarão a integrar o corredor. E o embarque e o desembarque das sete linhas serão distribuídos nos dois módulos da Estação de BRT do Derby”, justificou o Consórcio. 

Atualmente, operam três linhas no Corredor Leste/Oeste. Apenas duas estações de BRT do Leste/Oeste possuem duas plataformas: as estações do Derby e Guararapes. O Grande Recife Consórcio explicou ainda que, no planejamento do projeto foi observado que essas duas estações receberiam a maior demanda de embarque/desembarque de passageiros. A Estação da Guararapes, contudo, está com as duas plataformas em funcionamento, mesmo operando com as mesmas três linhas que embarcam e desembarcam no Derby. 

O engenheiro e coordenador regional da Associação Nacional do Transporte Público (ANTP), César Cavalcanti, coloca que a operacionalização parcial do Via Livre e a falta de planejamento não permitem que a população seja capaz de fazer uma avaliação mais real do que é o sistema. Segundo ele, enquanto projeto estiver incompleto e sem soluções alternativas, o BRT em Pernambuco continuará com sua imagem desgastada, porque não conseguiu se tornar um sistema eficiente para os passageiros. “É uma pena porque o BRT poderia ser uma prova, um testemunho de que no estado é possível ter um sistema de transporte público eficiente e de qualidade”, lamenta César Cavalcanti.

Segundo o secretário executivo de Mobilidade da Secretaria das Cidades, Leonardo Cabral, a empresa Poli Consult, contratada em outubro do ano passado, ainda não finalizou o levantamento  dos serviços remascentes para a conclusão do Corredor Leste/Oeste. “Ainda não temos previsão de quando o sistema irá operar 100%”, revelou. 

quinta-feira, 2 de junho de 2016

TI Cosme e Damião abre para linhas convencionais de ônibus no sábado

02/06/2016 - G1 PE

Unidade, na Zona Oeste do Recife, só era usado em dias de jogos na Arena.

Com inauguração oficial, terminal beneficiará cerca de 7 mil usuários por dia.

O terminal de ônibus da Estação Cosme e Damião, onde os circulares trazendo os torcedores da Arena Pernambuco descem, ficou sem energia durante 18 minutos, entre 20h28 e 20h46. (Foto: Luna Markman/G1)
O terminal de ônibus da Estação Cosme e Damião, onde os circulares trazendo os torcedores da Arena Pernambuco descem, ficou sem energia durante 18 minutos, entre 20h28 e 20h46. (Foto: Luna Markman/G1)

Quase dois anos depois de abrir as portas apenas em dias de jogos de futebol na Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata, no Grande Recife, o Terminal Integrado (TI) Cosme e Damião, na Várzea, Zona Oeste da capital pernambucana, finalmente, vai começar a operar com linhas convencionais de ônibus. O TI, localizado  ao lado da estação de metrô de mesmo nome, funcionará regularmente a partir da manhã de sábado (4).

O equipamento conta com uma área construída de 4.162 metros quadrados. O TI  beneficiará cerca de 7 mil usuários por dia, que terão ligação com outros municípios da RMR, por meio da linha interterminal.

Por causa do início das operações do TI Cosme e Damião, haverá alterações na circulação de coletivos. A  linha 2489 – Bairro dos Estados/TI Caxangá deixará de operar e será substituída pela linha circular 2456 – TI Cosme e Damião (Circular). Ela  atenderá moradores das comunidades de Viana e Santo Antônio.

Outra mudança acontecerá com a 2459 – Loteamento Santos Cosme e Damião, que passará a se chamar 2459 – TI Cosme e Damião/TI Caxangá. Ela terá dois itinerários, um pela Avenida Belmino Correia, em Camaragibe, e o outro atendendo o Bairro dos Estados.

Ao todo, 10 veículos vão realizar 127 viagens por dia com um intervalo de 10 a 25 nos horários de pico. As duas linhas do Terminal irão operar com anel A (R$2,80).

Para possibilitar maiores deslocamentos aos usuários, a linha 2456 - TI Cosme e Damião (Circular) fará integração temporal com a estação de metrô de Camaragibe, deste modo, também podendo ter acesso ao Terminal Integrado de Camaragibe.

Os passageiros da linha 2459 – TI Cosme e Damião/TI Caxangá poderão migrar diretamente para as linhas do Via Livre BRT Leste/Oeste por meio da integração temporal com as estações Areinha, Barreiras e Padre Cícero.

Ou seja, os usuários que possuem o Vale Eletrônico Metropolitano (VEM) Estudante, Trabalhador, Comum e Livre Acesso terão até duas horas, após ter embarcado na sua linha de origem, para validar novamente o VEM sem pagar uma nova passagem.

Com a inauguração deste terminal, o Sistema Estrutural Integrado passa a contar com um total de 22 TIs em operação, são eles: Aeroporto, Afogados, Barro, Cabo, Cajueiro Seco, Camaragibe, Cavaleiro, Caxangá, Igarassu, Jaboatão, Joana Bezerra, Macaxeira, PE-15, Pelópidas Silveira, Recife, Tancredo Neves, TIP, Xambá, Largo da Paz, Prazeres, Santa Luzia e Cosme e Damião.

O estado investiu 20 milhões na construção do TI Cosme e Damião. Ele oferece uma estrutura funcional, incluindo os requisitos relacionados à acessibilidade para usuários com mobilidade reduzida.

O terminal também está equipado com lanchonete, banheiros acessíveis, Central de Atendimento ao Cliente, rampas de acesso, escadas fixa e rolante, elevador, piso tátil (que facilita a orientação de pessoas com deficiência visual e visibilidade reduzida), e mecanismos antiderrapantes, para evitar quedas e escorregões.

terça-feira, 31 de maio de 2016

Fortaleza recebe frota de ônibus com wi-fi e ar-condicionado nesta terça

30/05/2016 - G1 CE

Previsão é ter 200 veículos com a tecnologia sem fio até outubro.

Sistema de transporte coletivo de Fortaleza conta hoje com 1.930 veículos.

Ônibus articulado começa a funcionar no transporte público de Fortaleza nesta quinta-feira (15) 

(Foto: Prefeitura de Fortaleza/ Divulgação)
Ônibus articulado começa a funcionar no transporte público de Fortaleza nesta quinta-feira (15) (Foto: Prefeitura de Fortaleza/ Divulgação)
Mais um lote de ônibus com ar condicionado será
entregue nesta terça-feira

A Prefeitura de Fortaleza entrega nesta terça-feira (31) um novo lote de ônibus com ar condicionado. Além do ar-condicionado, outro benefício que começa a funcionar a partir desta terça-feira é o Wi-For, programa de implantação de internet sem fio no transporte coletivo de Fortaleza.

Em parceria com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus), o wi-fi será instalado inicialmente nas linhas 026 - Antônio Bezerra/Messejana e 226 - Expresso/Antônio Bezerra/Messejana.

De acordo com a Prefeitura de Fortaleza, a cada mês, serão contempladas novas linhas, totalizando 200 veículos em 15 linhas com a tecnologia sem fio até outubro deste ano.

O sistema de transporte coletivo de Fortaleza conta hoje com 1.930 veículos divididos em cerca de 270 linhas. Em 2014, durante o lançamento do Programa de Implantação de ar-condicionado nos ônibus, o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, estabeleceu prazo de seis anos para que toda a frota de coletivos da cidade tenha esse dispositivo. Segundo o prefeito, a cada ano, pelo menos 12,5% da frota de ônibus serão substituídos por veículos com ar-condicionado.

Wi-fi nos terminais

Além do serviço de internet nos veículos, a prefeitura disponibiliza wi-fi nos terminais de ônibus que passam por reforma. No dia 27, o terminal de ônibus da Lagoa, em Fortaleza recebeu ponto de internet grátis para os usuários.

Segundo a Prefeitura de Fortaleza, o próximo terminal a receber reforma semelhante será o da Parangaba, cujas obras devem ser concluídas até o fim de junho.

terça-feira, 24 de maio de 2016

Em Recife, estação de BRT do Norte-Sul é inaugurada sob muitas reclamações

23/05/2016  - Jornal do Commercio - PE

 A estação de BRT São Francisco de Assis, na rodovia PE-15 – penúltima do corredor Via Livre Norte-Sul a ser inaugurada – enfrenta hoje seu primeiro dia útil de funcionamento, sob uma série de reclamações. A única forma de acesso à estação é uma passarela de pedestres que cruza a PE-15 de um lado a outro. Os usuários se queixam de que o percurso é longo (são três lances de rampas) e que falta teto e iluminação ao equipamento, além de segurança. Sem calçada no trecho (só há mato no passeio), para chegar à passarela usa-se a ciclovia.

“Uma pessoa que sai do trabalho às 22h, 23h, vai ter condições de usar essa passarela? Só se for pra morrer. O percurso é longo e escuro, há muitos assaltos aqui. O jeito será pegar um outro ônibus para fazer o retorno. Esse projeto foi errado, deviam rever isso”, apela a doméstica Ivonete José Pedro, 60 anos. O montador de móveis Jalmie Abílio, 47, acrescenta: “Preferia um transporte mais abundante e com menos luxo. Não vai ter manutenção mesmo”.

A estação funciona de domingo a domingo, das 4h10 às 21h30 e atende às linhas 1946 - Igarassu (PCR) e 1976 - TI Pelópidas (PCR). Fica faltando agora apenas a Estação Salgadinho (que aguarda uma intervenção viária no asfalto), completando 26 pontos. “Temos uma frota de 64 BRTs no corredor e uma média de 70 mil passageiros transportados ao dia. São cinco linhas em operação, mas quando o Terminal de Abreu e Lima estiver pronto, em junho, passaremos para oito linhas e 84 BRTs”, adianta o diretor de operações do Grande Recife Consórcio de Transporte, André Melibeu. O corredor era previsto para a Copa do Mundo de 2014. 

Recife: Ainda faltam 23% das obras para terminar BRT prometido para Copa

24/05/2016  - G1 PE

Corredor Leste-Oeste (Foto: Reprodução / TV Globo)
Corredor Leste-Oeste (Foto: Reprodução / TV Globo)Ainda faltam 42,3% das estações do Corredor Leste-Oeste serem entregues à população (Foto: Reprodução / TV Globo)

Obras que deveriam ter ficado prontas para a Copa do Mundo de 2014 em Pernambuco, os corredores Norte-Sul e Leste-Oeste ainda não estão com a totalidade das suas estações de Bus Rapid Transit (BRT) em funcionamento, algumas delas ainda em construção. Do total de 52 estações de embarque e desembarque de passageiros, 12 faltam ser entregues pelo governo de Pernambuco à população, o que significa que 23% das estações para a operação completa dos corredores de da Região Metropolitana do Recife continuam em obras.

Apresentado como uma alternativa para facilitar a circulação de veículos entre Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife (RMR), e o centro da capital, o Corredor Leste-Oeste tem 15 estações concluídas de um total de 26. Ou seja, ainda faltam 42,3% das estações dessa obra, que é investigada pelo Tribunal de Contas de Pernambuco (TCE-PE), saírem completamente do papel. Entre as unidades que ainda não foram entregues, a Benfica, no Recife; estações no município de Camaragibe; além dos terminais da III e IV Perimetral.

De acordo com a Secretaria das Cidades de Pernambuco (Secid), o atraso na obra que recebeu um investimento de R$ 136,5 milhões foi devido à necessidade da troca do consórcio construtor, após abandono das obras e quebra de contrato com a Mendes Jr/Servix. Por meio de nota, a secretaria informou ao G1 que licitou e contratou a empresa de projetos Policonsult para fazer os levantamentos dos serviços remanescentes do Corredor Leste-Oeste, com previsão de conclusão para o mês de junho.

“Depois que essa empresa finalizar o levantamento de serviços remanescentes e um novo orçamento de obras do que falta ser realizado para a conclusão das obras no corredor, será efetuada uma nova licitação de obras para contratar empresa para finalizar os serviços até 2017. A previsão de publicação do edital de licitação é o próximo mês de junho”, segundo a nota enviada pela Secid.

Do total de 26 estações previstas para o Corredor Leste-Oeste, estão em funcionamento 15 estações, transportando diariamente 63 mil usuários/dia útil, com 45 veículos e três linhas, conforme dados da secretaria. Com capacidade entre 140 a 160 passageiros, cada veículo trafega com uma velocidade de 17 km/h pelos 16 km da sua extensão, segundo o Grande Recife Consórcio de Transporte.

Enquanto isso no Norte-Sul...

Construído para ligar Igarassu, na RMR, à estação central de metrô da capital pernambucana, o Corredor Norte-Sul funciona com 25 estações do total de 26 estações previstas. A unidade que falta é a localizada no Complexo Salgadinho, em Olinda, com previsão de conclusão em junho deste ano.

Com previsão de conclusão para junho deste ano, Passarela Peixe-Agulha vai ligar Terminal Integrado de Abreu e Lima à BR-101 e faz parte do Corredor Norte/Sul (Foto: Marina Barbosa/G1)

De acordo com a Secid, já foram investidos R$ 156 milhões nesse corredor, que passa por cinco cidades: Igarassu, Abreu e Lima, Paulista, Olinda e Recife. O consórcio construtor é a EMSA/Aterpa, que também executa obras relativas a esse projeto, como o Terminal Integrado Abreu e Lima e a construção da Passarela Peixe-Agulha, que vai ligá-lo à BR-101.

Com 33 km de extensão, o Corredor Norte-Sul atende diariamente mais de 66.400 usuários, com 64 veículos e cinco linhas em operação, segundo a secretaria. Os veículos possuem capacidade de até 160 passageiros, que são transportados a uma velocidade média de 18 km/h. Já as estações comportam, cada uma, 300 pessoas, informa o Grande Recife Consórcio de Transporte.

terça-feira, 3 de maio de 2016

Recife: Wi-fi chega ao sistema BRT


03/05/2016  - Jornal do Commercio - PE

Roberta Soares



Depois da linha opcional RioMar–Apipucos, agora é a vez do BRT pernambucano ganhar internet wi-fi gratuita. Mesmo operando incompleto há um ano e cinco meses e sem previsão de retomada das obras de conclusão, a partir do dia 10 de maio parte dos ônibus do Corredor Leste-Oeste estarão equipados com roteadores para oferecer o serviço aos passageiros. Mais de 60 mil pessoas que usam o sistema diariamente poderão usufruir da novidade.

A wi-fi gratuita é um investimento particular do Consórcio MobiBrasil, que já atuava no sistema e venceu a licitação para operar o corredor. São R$ 70 pagos por veículo, por mês, totalizando um investimento de R$ 37.800 no ano. A internet começará a ser oferecida em duas das três linhas de BRT que estão em operação: (2450) TI Camaragibe–Centro e (2437) TI Caxangá–Centro. A estimativa é que 20 coletivos comecem no projeto piloto. A terceira linha, a TI Camaragibe–Derby, entrará num segundo momento, ainda sem data definida.

“Começaremos com esses 20 ônibus, oferecendo a wi-fi para todos os passageiros que estiverem no BRT, que tem capacidade para até 120 pessoas. Depois iremos ampliando para a frota de 45 BRTs. Acreditamos na ideia por ser uma forma de fidelizar o nosso cliente. Além disso, condiz com a proposta do sistema BRT, um transporte mais refinado, com estações e veículos refrigerados”, defende o diretor institucional da MobiBrasil, Djalma Dutra.

A oferta, entretanto, entrará em fase de testes e é possível que no percurso das linhas venha a enfrentar as chamadas áreas de sombra, quando o sinal da 4G não pega bem. O funcionamento será idêntico ao da linha RioMar–Apipucos. Os passageiros identificarão a wi-fi quando entrarem nos BRTs, que estarão devidamente sinalizados. O acesso será direto, sem exigência de senhas, mas restrito apenas ao interior do veículo. A wi-fi disponibilizada também terá algumas limitações. O acesso a conteúdos com imagens, como filmes, por exemplo, será impedido. Será ideal mesmo para o uso do WhatsApp, Facebook e Twitter. Caso, contrário, o pacote de dados seria consumido rapidamente.

Numa segunda etapa, também sem data certa, a intenção da MobiBrasil é levar a wi-fi até as estações de BRT do Corredor Leste-Oeste. O investimento, estimado em mais de R$ 200 mil, proporcionaria diversas vantagens para todo o sistema, sejam os passageiros, os operadores ou os gestores – nesse caso o Grande Recife Consórcio de Transporte.

“Com a wi-fi chegando nas estações nós estaremos ampliando a área de uso da internet para o passageiro além dos ônibus, facilitaremos a comunicação com as estações e, consequentemente, a operação. Também melhoraremos o serviço de comunicação com o passageiro e até a oferta de venda de créditos do VEM”, explica Djalma Dutra. A ampliação do serviço, no entanto, precisa da autorização do governo do Estado para liberação da fibra ótica que já está instalada na Avenida Caxangá. Seria necessário apenas prolongá-la até as estações de BRT.

Além do Corredor Leste–Oeste, o sistema de BRT pernambucano é composto pelo Corredor Norte-Sul. Mas os dois operam incompletos e colecionam atrasos. O Leste-Oeste está em operação desde junho de 2014 e se arrasta com obras pendentes até hoje. Das 25 estações prometidas, apenas 16 estão em operação. Falta concluir dois terminais integrados e um elevado. A Construtora Mendes Júnior abandonou o contrato depois de envolvimento com a Operação Lava-Jato e uma nova licitação ainda será feita a partir de junho. A previsão otimista do Estado é finalizar os serviços até 2017. 

quarta-feira, 27 de abril de 2016

PE-15 ganha faixa exclusiva para ônibus

26/04/2016  - Diário de Pernambuco

O Corredor Norte/Sul do BRT começou a ganhar novos trechos de circulação exclusiva de ônibus. Uma faixa que separa os coletivos dos demais veículos está sendo pintada na PE-15, indo do Viaduto Presidente Kennedy até onde já existe o corredor exclusivo, na altura do quartel do 7º Grupo de Artilharia da Campanha, em Ouro Preto, Olinda. Por enquanto, a faixa está sendo “pré-marcada” com tinta branca, mas deve ganhar pintura amarela e tachões (pequenos blocos) refletivos até o próximo dia 15. Com a segregação do tráfego, a expectativa é de que os ônibus tenham um ganho de 30% no tempo de deslocamento. Assim, a velocidade média vai passar dos atuais 19 km/h para 27 km/h.

Atualmente - um ano e 9 meses depois do primeiro dia de operação do Transporte Rápido por Ônibus (BRT) no Norte/Sul - o corredor ainda tem trechos compartilhados com o tráfego misto, na PE-15 e na Avenida Cruz Cabugá, área central do Recife. Sem faixa segregada em todo o percurso, os ônibus ficam presos nos congestionamentos, indo de encontro com a premissa básica do BRT de corredor exclusivo e segregado.

O próximo trecho a ganhar a faixa exclusiva, de acordo com o Grande Recife Consórcio de Transportes, vai do Viaduto Presidente Kennedy até o limite dos municípios de Olinda e Recife. O secretário executivo de Mobilidade da Secretaria das Cidades, Leonardo Cabral, esclareceu que os corredores exclusivos vão receber pintura sinalizadora no chão e placas indicando que apenas ônibus devem circular por ali. “O projeto de BRT já contempla a segregação e chegou a hora de fazer nesse trecho por causa da inauguração da estação do Complexo de Salgadinho”, explicou. A estação deve ser inaugurada em maio.

A fiscalização para que outros veículos não usem o espaço deverá ser feita pelo órgão de trânsito de cada município. O professor Helder Pires, 28 anos, usa o BRT diariamente e percebeu que os carros, motos, caminhões e ônibus comuns já estão obedecendo a pré-marcação nos horários em que o tráfego está fluindo. “Mesmo sem uma sinalização clara de que é exclusivo para ônibus, estão obedecendo, mas no horário de pico, invadem a faixa”, disse.A dona de casa Cássia Maria dos Santos, 21, também é usuária do sistema desde a inauguração do Corredor Norte/Sul e prevê melhorias com a implementação da faixa exclusiva. Ela percebeu que, de Paulista até o Recife, os ônibus do BRT andam mais rápido até o trecho separado dos demais veículos. “Quando chega perto do Fórum de Olinda, fica muito mais lento porque os ônibus ficam disputando com os carros”, afirmou. 

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Bilhete Único começa a funcionar no dia 1° de maio em Fortaleza


15/04/2016 - O Povo - CE

O Bilhete Único Metropolitano começa a funcionar no dia 1° de maio. A iniciativa, promessa de campanha do então candidato Camilo Santana (PT), vai garantir integração entre coletivos de Fortaleza e dos 15 municípios que compõem a Região Metropolitana (RMF). Com a mudança, usuários terão a possibilidade de fazer integração de ônibus pagando apenas uma passagem por até três horas. Eles terão direito a desconto de R$ 2 na integração. Conforme adiantou ontem a coluna Vertical do O POVO, o anúncio oficial será feito amanhã pelo governador Camilo Santana (PT) em Caucaia e em Maracanaú.

Neste sábado também começarão os cadastros dos usuários. Além dos dois municípios, serão instalados postos de solicitação na Praça do Ferreira, no Centro, nos terminais do Antônio Bezerra e Parangaba, no Vapt-Vupt Messejana e na sede do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Ceará (Sindiônibus), no bairro Alto da Balança. De amanhã até 16 de junho, o North Shopping Maracanaú também terá um posto de cadastro.

Os passageiros devem receber os cartões até dez dias após a solicitação. O Superintendente do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Igor Ponte, explica que os bilhetes recebidos antes do dia 1° de maio ficarão inativos até o início do funcionamento do projeto. Com o desconto de R$ 2 a cada integração, ele estima para os usuários economia de até R$ 120 por mês. Ainda segundo Igor, o Detran ficará com a fiscalização do projeto e o Sindiônibus atuará no cadastro e na execução.

De acordo com Igor Ponte, a intenção é beneficiar principalmente quem trabalha em Fortaleza e mora nos municípios da RMF. “Queremos integração total para facilitar e atrair a população para o transporte público”, diz.

Promessa
O projeto foi promessa do governador Camilo Santana durante as eleições, em 2014. Conforme publicou O POVO em 22 de dezembro de 2015, a expectativa do Estado era de que todo o sistema já estivesse funcionando em janeiro deste ano. À época, o governador explicou que a demora na implantação do projeto foi devido às dificuldades para equipar toda a frota de ônibus dos municípios com a tecnologia necessária.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

BRT de João Pessoa deve sair do papel em março


23/02/2015 - Correio da Paraíba

As obras do BRT, que a prefeitura pretende implantar em João Pessoa, poderão sair do papel, até o final do próximo mês. Foi o que afirmou o superintendente de mobilidade urbana da Capital, Carlos Batinga, que disse estar faltando apenas a liberação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba (Iphaep) e a conclusão de projetos complementares, para que a primeira parte da obra seja licitada. 

Créditos: Marcopolo - Montagem: Renatto Passos.

O projeto estava paralisado porque o Tribunal de Contas entendeu que havia falhas no processo de contratação para elaboração do projeto executivo de engenharia e projeto ambiental, a execução de obras que poderiam causar prejuízos aos cofres públicos. Segundo Batinga, todas as falhas foram resolvidas e o projeto já pode voltar a ser licitado. “Da parte de projetos estamos precisando apenas concluir alguns complementares. A pendência mesmo é a análise do terminal do Varadouro, por parte do Iphaep, uma vez que já obtivemos a liberação do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, que é o órgão nacional”, disse. 


A diretora executiva do Iphaep, Cassandra Figueiredo, disse que não tinha conhecimento da tramitação desse processo no órgão. Primeira etapa. Segundo o superintendente, a licitação do mês de março será da primeira etapa do projeto, que inclui o corredor da Avenida Pedro II e dois terminais, que será construído em um terreno que fica na lateral esquerda do Terminal Rodoviário. “Já temos os recursos disponíveis para execução dessa parte da obra e vamos captar o restante à medida em que a primeira parte estiver sendo executada”, acrescentou Batinga. Ontem à tarde, aconteceu uma reunião entre os diretores da Semob e o DER, para discutir detalhes sobre a construção do terminal do Varadouro.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Liminar suspende repasse para BRT em Feira de Santana (BA); mas as obras continuam


Decisão foi após ação da Defensoria da União e do Estado. Prefeitura contesta e diz que ter cumprido normas técnicas

11/02/2016 - G1 BA

Uma liminar da Justiça Federal determinou a suspensão do repasse de verbas para as obras do Bus Rapid Transit (Transporte Rápido de Ônibus, em inglês) em Feira de Santana, cidade a 100 km de Salvador. A construção continua porque a prefeitura ainda utiliza os recursos já recebidos para o projeto.

A decisão da Justiça foi do último dia 5 de fevereiro, após ação da Defensoria da União e do Estado da Bahia que alegam que o plano diretor do município não está atualizado e também que o dinheiro não poderia ser usado em dois túneis, um deles na Avenida Maria Quitéria, porque não seriam usados por transporte público.

O secretário de Planejamento da cidade, Carlos Brito, contesta e diz que a prefeitura cumpriu normas técnicas. De acordo com ele, o plano diretor de Feira de Santana foi aprovado em 2011, quando o BRT ainda não tinha sido aprovado pelo Governo Federal. Brito informou que o BRT foi aprovado apenas em 2012 e por isso não estava incluso no plano diretor.

Obra três vezes suspensa

O BRT começou a ser construído em junho do ano passado e teve obras suspensas três vezes, com inauguração prevista para janeiro do ano que vem. As obras tem apenas 11% dos serviços executados.

O projeto foi orçado em R$ 86 milhões, financiados pela Caixa Econômica Federal (CEF). A prefeitura só recebeu do total R$ 9 milhões. As obras não foram suspensas porque é usado o dinheiro já repassado.

O procurador do Município, Cleudson Almeida, diz que a prefeitura irá recorrer. "O municipio já está viabilizando os mecanismos necessários para interposição de recursos, matendo contato com a Caixa Econômica, que é parte do processo, para em um prazo curto, já que o projeto já foi iniciado, tentar revertar a decisão liminar", afirmou.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Justiça Federal suspende obras do BRT em Feira de Santana

06/02/2016 - Folha do Estado – BA

O juiz federal Marcel Peres decidiu na última sexta-feira (5), conceder liminar para suspender as obras do projeto Bus Rapid Transit (BRT) em Feira de Santana, como solicitado pelas Defensorias Públicas do Estado e da União, que recorreram à Justiça contra o governo federal e a Caixa, que fez o empréstimo para execução da obra.

A decisão é provisória e as partes vão apresentar seus argumentos para que o Judiciário possa dar a palavra final. Mas ao justificar a concessão da liminar, o juiz rejeitou uma série de argumentos da defesa prévia da Prefeitura. Outro ponto negativo para o governo municipal foi que, chamado a se manifestar, o Ministério Público Federal concordou com os argumentos dos defensores públicos e pediu para ser incluído como autor.

O juiz demonstra concordância com aspectos essenciais da ação. "Os indícios apontam para um provável desvirtuamento da ideia original”, afirma Marcel, citando relatório elaborado por técnicos do Ministério das Cidades, que acusou alterações no projeto original, como a redução do trajeto inicialmente previsto para toda a extensão da João Durval, chegando até o Tomba.

Outro argumento inicialmente acatado pelo juiz é que as trincheiras consomem parte significativa do recurso, mas servirão para o transporte particular e não coletivo, já que o BRT não passa na Maria Quitéria, local de uma trincheira; e na João Durval, com o encurtamento da proposta original, termina na Getúlio Vargas, sem alcançar a trincheira prevista para o cruzamento com a Presidente Dutra.

Marcel incluiu em sua decisão de 18 páginas pontos críticos de nota técnica do Ministério das Cidades, que suspendeu por algum tempo o projeto no ano passado, para avaliação. "A prefeitura de Feira de Santana efetuou grandes modificações no objeto selecionado, as quais o Ministério das Cidades não foi consultado”, diz trecho do documento citado pelo juiz, que conclui: "os indícios apontam para um provável desvirtuamento da ideia original”.

Mesmo o fato do próprio Ministério ter depois autorizado o reinício da obra "não afasta automaticamente as irregularidades apontadas”, segundo o juiz, já que as objeções foram feitas por agente público "que presumivelmente detém competência e expertise”.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Estações do BRT de Feira de Santana começam a ser construídas

13/01/2016 - Bahia Prime 

Foram iniciadas a construção das estações de embarque e desembarque do sistema de transporte BRT de Feira de Santana, após diversos contratempos judiciais enfrentados pela prefeitura no ano passado. Segundo o site Acorda Cidade, as estações ao longo da avenida Getúlio Vargas estão em diferentes fases de construção.

Em uma delas, os operários estão montando as ferragens e em outra já iniciaram a fase de alvenaria. O terreno está sendo preparado em outras áreas onde o equipamento será edificado. Outras cinco destas estações serão construídas ao longo das avenidas Ayrton Senna e João Durval Carneiro – até o cruzamento com a Getúlio Vargas. Uma estação de transbordo está sendo construída no bairro Pampalona.

Ainda de acordo com a publicação, as obras seguem na Avenida Maria Quitéria, onde no cruzamento com a Getúlio Vargas, está sendo construída uma trincheira, equipamento que vai modernizar o trânsito naquela área com reflexo positivo em todo o centro e bairros próximos.

O piso das estações será no mesmo nível da entrada dos ônibus articulados que serão usados no sistema, detalhe que além de facilitar o acesso aos veículos, torna a entrada mais segura e menos trabalhosa para todos os passageiros.