terça-feira, 31 de julho de 2012

População de Salvador conhecerá o modelo de ônibus urbano Viale BRT

31/07/2012 - Prefeitura de Salvador

A população de Salvador conhecerá, na próxima quarta-feira (1º), às 9h30, na Praça Municipal, o modelo de ônibus urbano Viale BRT, que deverá ser adotado em diversas cidades-sedes da Copa do Mundo da Fifa 2014. Fabricado pela Marcopolo, o ônibus é o primeiro veículo brasileiro com sistema de tecnologia e gerenciamento de frota que agrega velocidade, conforto, confiabilidade e segurança. Um modelo do Viale BRT ficará exposto na praça e também irá percorrer as vias e ruas de Salvador, demonstrando as vantagens e benefícios que este tipo de veículo pode proporcionar à população e ao trânsito. 

Segundo o fabricante, o modelo foi desenvolvido para aplicação nos modernos sistemas de transporte coletivo em grandes centros urbanos. É o mais avançado já produzido no Brasil e consumiu dois anos de pesquisas e desenvolvimento. A versão articulada tem até 21 metros de comprimento, capacidade para transportar até 145 passageiros e foi concebida com conceitos de design, ergonomia, conforto, segurança e eficiência. 

A concepção do Viale BRT levou em conta características como a redução de custos, sustentabilidade do produto, praticidade e tecnologia embarcada. O veículo atende todas as exigências dos sistemas de plataformas de embarque existentes no País, adaptados à acessibilidade.

Conheça a malha viária planejada para o Sistema Estrutural Integrado de Recife

31/07/2012 - Blog Mobilidade Urbana

Quando o Sistema Estrutural Integrado (SEI) estiver operando com todos os terminais, a estimativa é duplicar o número de usuários integrados
 
O SEI está demorando pra ser implantado
créditos: Divulgação
Com uma frota de três mil ônibus, o Sistema de Transporte Público de Passageiros (STPP) da RMR transporta por dia dois milhões de usuários. Desses, 800 mil estão na rede integrada, o que significa 40% do total de usuários. O percentual ainda é muito pouco se levarmos em conta a dimensão e importância da malha idealizada para a integração. Uma das razões é justamente a demora na implantação efetiva do Sistema Estrutural Integrado (SEI).
 
Quando o SEI estiver operando com todos os terminais, a estimativa é duplicar o número de usuários integrados. Para se ter uma ideia, em Curitiba com uma frota de 1,9 mil ônibus, o número de passageiros transportados chega a 2,3 milhões por dia com 95% do sistema integrado. O que reforça um maior grau de eficiência no sistema é o número de viagens realizadas por dia.
 
As obras dos corredores das perimetrais ainda não foram iniciadas. A 2ª e 3ª perimetrais serão executadas pelo município.  Já a 4ª perimetral pelo estado. As três com recursos do PAC Mobilidade. As perimetrais não fazem parte da agenda da Copa de 2014. Elas só não podem ser ignoradas como foram até agora.
 
Saiba Mais

A malha viária do SEI
Radiais
1- Avenida Mascarenhas de Morais (contemplada com o metrô)
2- Rua José Rufino (contemplada com o metrô)
3- Avenida Abdias de Carvalho (não contemplada)
4- Avenida Caxangá (em obras do corredor Leste/Oeste)
5- Avenida Presidente Kennedy (em obras para um corredor exclusivo)
6- Avenida Norte (não foi contemplada)
7- PE-15 (em obras para o corredor Norte/Sul)
 
Perimetrais
1ª Perimetral: Avenida Agamenon Magalhães (contemplada com o Norte/Sul)
2ª Perimetral:  passa pela Estrada dos Remédios, Água Fria e Avenida Beberibe ( obra do município contemplada pelo PAC Mob)
3ª Perimetral:  Sai da Estação Tancredo Neves, passa pelas avenidas Recife, San Martin e Norte (obra do município contemplada pelo PAC Mob)
4ª Perimetral: BR-101, no contorno Recife (obra do estado contemplada pelo PAC Mob)
 
Terminais/ Inauguração
TI PE-15 -  1992
TI Macaxeira- 1992
TI Recife – 1994
TI Joana Bezerra – 1994
TI Afogados – 1994
TI Barro – 1994
TI Jaboatão – 1994
TI Camaragibe – 2002
TI Cavaleiro – 2004
TI Caxangá – 2008
TI Pelópidas – 2009
TI Cabo de Santo Agostinho – 2009
TI Aeroporto – 2012
 
* Outros 11 terminais serão entregues até 2014
Fonte: Grande Recife Consórcio de Transporte Metropolitano


Leia também:
No Recife, mobilidade urbana não é para a Copa das Confederações 
Plano de Ações para o Trânsito do Recife será lançado nesta quinta (26) 
No Recife, hidrovia será corredor exclusivo para transporte de passageiros 

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Fortaleza: Implantação de corredores de ônibus atrasada

27/07/2012 - O Estado

Somando-se às tantas ações anunciadas, programadas e não concretizadas no tempo previsto, estão as faixas prioritárias para transporte público na Capital. O sistema de tráfego que leva o nome de Serviço Rápido de Ônibus (BRS- sigla em inglês) já deveria estar funcionando desde junho, diminuindo pela metade o trajeto entre a Bezerra de Menezes e o Centro, de 1h10 minutos. A nova previsão é agosto e o atraso pode impedir que outros dois trechos sejam implantados até o fim de 2012, como foi anunciado pela Prefeitura de Fortaleza. 

Não houve grandes impactos financeiros e o projeto já está finalizado, sem os entraves estruturais mencionados quando da divulgação sobre a data de implantação, em março. O que impediu o cumprimento do cronograma do BRS foram as negociações trabalhistas entre motoristas e empresas de coletivos, que acontecem anualmente. A informação foi fornecida pelo presidente da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), Ademar Gondim, que definiu a primeira quinzena de agosto como nova data. 

Serão três grupos de linhas (BRS1, BRS2 e BRS3) pertencentes ao primeiro trecho, Antônio Bezerra/Centro. Ainda há, entretanto, as opções de sistema nos trechos Antônio Bezerra/Messejana, Lagoa/Centro, Messejana/Centro e Leste-Oeste/Centro. Haverá, em cada parada de ônibus, sistemas de informação sobre horários e itinerários. Sinalizações e ações de educação orientarão os motoristas. Os semáforos, porém, não serão alterados, como aconteceu na implantação do BRS no Rio de Janeiro, que serviu como exemplo para execução do sistema em Fortaleza. 

A experiência carioca é recente, ainda de 2012, mas os cearenses que utilizam o BRS no Rio já conseguem apontar diferenças que poderão dificultar a fluidez esperada para o trânsito fortalezense. “Os corredores deixam as viagens mais rápidas, principalmente em horários de pico. É preciso, porém, lembrar que eles existem em avenidas largas, de até cinco faixas. Não sei como funcionaria em vias estreitas como as de Fortaleza. O motivo para adiarem a implantação deve ser porque ainda estão pensando como vão fazer”, avaliou a jornalista Roberta Bonfim, que há um ano mora no Rio de Janeiro. 

Detalhes e pendências
Das sete vias que deverão receber o primeiro BRS em Fortaleza (avenidas Bezerra de Menezes, Tristão Gonçalves, Imperador e Duque de Caixas; e as ruas Metom de Alencar, Pedro I e Padre Ibiapina), apenas Bezerra de Menezes e Imperador poderão abrigar duas faixas do corredor. No restante dos logradouros, considerados mais estreitos, os ônibus circularão com prioridade em apenas uma faixa. 

Alguns detalhes ainda estão em análise para a concretização da melhoria no transporte público da Capital. De acordo com o presidente da Etufor, ainda é preciso rever o acesso a escolas e bancos que estão localizados nas vias do trecho. A entrada no corredor, restrita a ônibus, vans e táxis com passageiros, só será permitida em casos de acesso ao lote (estacionamento ou garagens) e para conversões. 

Entretanto, não foi acertado ainda, junto aos taxistas, como a verificação da existência de clientes a bordo será executada. “Os carros provavelmente não poderão ter fumê na parte traseira”, acrescentou Ademar. Todas as paradas de ônibus no primeiro trecho serão realocadas e terão cerca de 500 metros de distância. Antes das penalidades sobre “invasões” dos corredores prioritários, uma ação educativa vai tirar dúvidas de motoristas e, de acordo com informações divulgadas em março, existirão aparelhos eletrônicos de fiscalização a cada 200 metros.

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Fortaleza: Wi-Fi funciona nas paradas de ônibus, mas população teme assaltos

25/07/2012 - O Povo

Iniciativas de serviço de Internet Wi-Fi gratuita em espaços públicos de Fortaleza oferecem aos usuários mais opções de conexão. O acesso ao universo on line se torna mais fácil por meio de dispositivos móveis e vai modificando, aos poucos e ainda para poucos, a forma de se conectar.

São três paradas de ônibus na Capital que dispõem de Internet gratuita para aqueles que quiserem acessar utilizando celulares, computadores ou tablets. A reportagem visitou os pontos para testar o serviço oferecido à população. Em todos, foi possível acessar e-mail, redes sociais, portais de notícia e sites de busca com diferentes graus de dificuldade. 

Nas paradas de ônibus, a rede foi facilmente identificada e a conexão foi eficiente. Em alguns locais, o sinal continuava acessível mesmo atravessando a rua ou dobrando a esquina; em outros, o sinal enfraquecia e impedia a atualização das páginas. Segundo Nelson Gurgel, gerente de marketing da Ibyte, responsável pelo projeto “Parada Wi-Fi” em parceria com a Intel, o sinal é monitorado diariamente. A intenção é ampliar o serviço no fim da fase piloto, em setembro, e, a partir disso, realizar uma maior divulgação. 

Para Daniela Teixeira, 23, a iniciativa é ótima porque as pessoas passam muito tempo nas paradas e a Internet pode ser útil. A questão que divide muitas opiniões e faz surgir críticas ao serviço é a insegurança vivenciada nas ruas. Érica Cavalcante opinou que as pessoas já andam com celular na rua e é necessário ter atenção. A comerciante Valéria Viana lembra que assalto tem em todo lugar e o importante é ter cautela em determinados locais. Para ela, o mundo está evoluindo e é preciso acompanhar as inovações.
Com informações: O Povo

sábado, 21 de julho de 2012

Avenida Bezerra de Menezes receberá corredor exclusivo para ônibus

20/07/2012 - Diário do Nordeste

O Transfor irá implantar na Av. Bezerra de Menezes uma faixa exclusiva para o transporte coletivo, que melhorará o fluxo de tráfego naquela via por onde circulam diariamente mais de 112 mil pessoas por dia nas 19 linhas de ônibus municipais. Essa faixa será ao lado do canteiro central, nos dois sentidos.

Portanto, os retornos que cortam os canteiros foram desativados para implantação dos semáforos. O motorista deve contornar o quarteirão para cruzar a avenida de forma segura e ordenada com o auxílio desse equipamento. 

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Balanço operacional dos ônibus

12/07/2012 - Prefeitura de Fortaleza 

Otimizando a operação dos ônibus com prestação de informação segura aos usuários, a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) fornece o relatório operacional dos coletivos com base no monitoramento em tempo real dos veículos. Diariamente, são divulgados os percentuais dos ônibus que estão em circulação na cidade.

Os dados, provenientes do controle feito através do Sistema de Posicionamento Global (GPS), estão disponíveis para todos os usuários que desejam obter informações relativas à frota operante dos coletivos.
  
Clique aqui para conferir o relatório.

Fortaleza: Ônibus Articulados e corredores, promessas antigas

12/07/2012 - Fortalbus

Em julho de 2002, o SIT-Fortaleza completava 10 anos de funcionamento na capital. Naquele ano, justamente no mês de aniversário e sem muita coisa para comemorar, o então prefeito de Fortaleza Juraci Magalhães, anunciava o investimento de US$ 143 milhões em recursos para a melhoria do sistema de transportes da cidade.

Naquele 12 de julho, foi apresentado pela antiga Empresa de Trânsito e Transporte Urbano S/A (Ettusa), um novo sistema de transporte coletivo, com piso em nível e terminais de embarque e desembarque adaptados para deficientes. O ônibus articulado seria o principal equipamento e parte do projeto, que contaria com US$ 140 milhões em recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Testes de veículo articulado em meados de 1999
Ainda segundo o projeto, ar-condicionado e transmissão automática equipariam o veículo, que contaria com plataformas no mesmo nível da porta para garantir acesso universal a deficientes físicos, com espaço para transportar até quatro cadeiras de roda.

O projeto-piloto seria testado ainda em 2003 no corredor Antônio Bezerra- Papicu, percurso que vai da avenida Mister Hull até o terminal do Papicu, contando com a instalação de 52 estações de embarque e desembarque. O intuito era criar um modelo de transporte semelhante às estações da cidade de Curitiba (PR), mas adaptadas ao clima cearense. Naquele momento, o SIT Fortaleza contava com 1.174 veículos, transportando diariamente cerca de 900 mil passageiros.

O tempo passou e os planos mudaram, recentemente, os próprios usuários puderam escolher o primeiro corredor a ser instalado, ou melhor, faixa prioritária, que esperamos que sejam entregues num futuro bem próximo, e que não fique mais como mais uma promessa. Enquanto aos articulados, sem previsão.

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Construção do Terminal Integrado de Santa Luzia está abandonada.

08/07/2012 - Blog Meu Transporte

Tudo parado! É assim como se encontra a construção do terminal integrado de Santa Luzia, zona oeste do Recife, as obras que começaram em 2010 tinha a previsão de entrega e operação em Janeiro de 2011, mas o que vemos no local é uma obra parada e abandonada na qual vem prejudicando tanto os moradores da área como os usuários das linhas que atendem a este terminal, isto porque o ponto de embarque e desembarque das linhas de ônibus que antes era ao lado da estação foi transferido para uma rua distante fazendo com que muitos usuários caminhem quase 500 metros para chegar ao ponto de ônibus provisório.

Este terminal fica próximo a Avenida Recife, considerada uma das principais vias da cidade, visto que liga a zona sul com a BR-101.


A operação deste terminal se dará com 08 linhas que serão integradas junto com o metrô e estudos indicam um atendimento diário a mais de 15 mil pessoas.

A placa da obra que lá se encontra, acusa o prazo de termino da obra em Janeiro de 2011, e nenhum operário foi encontrado para contar história.

Os moradores reclamam que a área do terminal em construção virou ponto de drogas e que a noite é muito perigoso tanto para eles como para os usuários.


Segundo a secretária das cidades, a obra deste terminal está sendo relicitada, em virtude da readequação do projeto. No momento, o processo licitatório está na fase do julgamento de habilitação. Após a conclusão da concorrência, que deve ocorrer até o início de Agosto deste ano, a SECID dará a ordem de serviço para a finalização do empreendimento. O estimado é que o Terminal fique pronto em seis meses, após a ordem de serviço.

Terminal integrado do Cajueiro Seco pronto para inauguração

09/07/2012 - Blog Meu Transporte

A área sul da Região Metropolitana do Recife está prestes a ter uma mudança radical no sistema de transporte coletivo, pois já se encontram prontos os terminais integrados de Cajueiro Seco e Tancredo Neves que juntos esperam atender a mais de 100 mil usuários por dia. Os novos terminais estão dentro das normas de acessibilidade, elevadores, escadas rolantes dupla, bicicletários e estacionamentos para carros.

Terminal de Cajueiro Seco 
Este terminal que fica em Jaboatão dos Guararapes, receberá 11 linhas de ônibus das quais a maior parte vem da Cidade do Cabo de Santo Agostinho, estas linhas deixarão de ir ao centro do Recife possibilitando para muitos outras formas de deslocamento, como o Metrô, por exemplo, que também será integrado a este terminal. Cerca de 80% das linhas serão integradas com tarifa A, ou seja, existem algumas linhas que hoje operam com a tarifa B (R$ 3,25) e que terão suas tarifas reduzidas para o anel A (R$ 2,15), ou 49% a menos.

Uma das grandes vitórias ficou pela luta da comunidade do Conj. Marcos Freire, na qual sua integração vai possibilitar a redução da tarifa de ônibus e conseqüentemente mais pessoas poderão aderir aos ônibus na comunidade.
Este terminal terá 03 linhas inter-terminais, que ligará o T.I de Cajueiro aos Terminais do Cabo, Barro e Afogados. Isso sem falar que é neste terminal que será integrado o Corredor da BR-101 que receberá uma linha vinda de Igarassu, através do Corredor de ônibus da BR-101. 

Porém o terminal não terá linhas para o centro do Recife como era esperado, a população terá apenas o Metrô como opção para chegar ao centro da cidade, o que pode agravar ainda mais os problemas enfrentados pelas linhas circulares que saem dos TI's de Joana Bezerra e Recife, e a pergunta que fica no ar é, se hoje as linhas circulares com seus pequenos ônibus já não suportam tantos passageiros, será que com este aumento de demanda vai conseguir? É o chamado caos à vista.

A Inauguração está dependendo do fim da greve dos metroviários.

Abaixo as Linhas que atenderão a este terminal nos próximos dias.

Tancredo Neves
Previsto para ser inaugurado no começo do ano, este terminal é um dos mais problemáticos para entrar em operação, pois as comunidade do Ibura não aceitam a forma de implantação deste terminal, os maiores problemas são a falta de reuniões conjuntas com o GRCT, CTTU e METROREC, orgãos envolvidos mais que diretamente para implantação deste terminal, em relação a CTTU, sistema viário precário e sem prioridades para os ônibus, usuários e lideranças reclamam do abandono da principal via da Ibura, Av. Dois Rios, com seus constantes engarrafamentos, além de uma Mascarenhas de Moraes sem Priorização para os ônibus.

Com relação ao METROREC, nenhum representante do metrô compareceu as reuniões das comunidades junto com o GRCT, o que deixou muitas lideranças indignadas devido a fatos que poderiam ser esclarecidos pelo próprio metrô, como por exemplo a chegada de novas composições, intervalos entre outros.
Depois de resolver estas pendências, este terminal entrará em operação provavelmente com 21 linhas em sua maioria oriundas do Ibura, além de novas linhas que integraram ao Bairro de Boa Viagem e Candeias.

As linhas alimentadoras terão cada uma seu espaço de embarque tipo plataforma, para evitar furões de filas.
Além destas linhas, serão criadas as Linhas Tancredo Neves/Macaxeira, Tancredo Neves/Cde da Boa Vista e Tancredo Neves/IMIP.

O certo é que estes dois terminais vão mudar radicalmente a vida de milhares de pessoas, seja para o lado bom, seja para o lado ruim, porém é uma estratégia do governo integrar não somente as linhas da área sul, mas de todos os bairros da região metropolitana com a ampliação do SEI (sistema Estrutural Integrado).

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Integração facilita a vida do usuário de ônibus em Salvador

06/07/2012 - Prefeitura de São Salvador

A estudante Jucélia Brito, 23 anos, mora na região da Estrada Velha de Periperi e usa o veículo de integração também conhecido como "amarelinho" toda vez que precisa sair de casa. Na comunidade onde mora, os micro-ônibus parte de uma rede de integração eletrônica do Sistema de Transporte Coletivo de Salvador mudaram a vida de muita gente. "Antes, o pessoal aqui precisava andar um bom pedaço para chegar até o ponto para pegar o ônibus. Hoje, pego o "amarelinho" que passa bem próximo à minha casa, e já faço cerca de metade do meu trajeto. Mais rápido, menos cansativo e também mais barato", comemorou.  

O sistema, implantado pela Secretaria Municipal de Transportes e Infraestrutura (Setin) em 2007, tem como finalidade dar mais agilidade ao transporte público e também diminuir os custos da viagem para o usuário. Os "amarelinhos", como são chamados os micro-ônibus que fazem a integração local, têm desenvolvido o importante papel de diminuir a distância entre os bairros populares e as áreas práticas da cidade, como região do Iguatemi, Lapa, Comércio e Pituba. A frota atual de "amarelinhos" é de 290 veículos. 

O processo de integração só é feito através da utilização do cartão eletrônico, o Salvador Card, nas modalidades de Meia Passagem Escolar, Vale Transporte Eletrônico e Bilhete Avulso. Os veículos da frota alimentadora obedecem à programação visual diferenciada e única para todos os roteiros para que possam ser facilmente identificados pelos passageiros. Os micro-ônibus são de cor branca com faixa amarela e, em todos, pode ser lida a inscrição "Integração Local". 

Como funciona 
O sistema eletrônico facilita a vida do usuário, através de suas formas de integração por área e pelo Sistema Amarelinho. No primeiro caso, a integração acontece entre as quatro áreas de operação do sistema (vermelha, verde, azul e amarela), que representam regiões da cidade. Por esse processo, a segunda viagem tem valor de 50% da primeira, considerando um intervalo de duas horas entre a passagem nas catracas. O cidadão pode usufruir desse serviço estando em qualquer ponto de ônibus da cidade. Mas só é permitida uma integração na sequência da primeira viagem. 

Já o passageiro que utilizar o "amarelinho" pode fazer a integração em todos os pontos de parada de ônibus de Salvador, sem restrição da região, pagando metade do valor da tarifa nas linhas do serviço convencional. O tempo permitido para a integração é de duas horas, contado a partir do registro de passagem do Salvador Card na catraca pelo usuário. 

Do mesmo modo, quando o passageiro utiliza qualquer ônibus convencional e pagar a tarifa oficial R$ 2.80, em créditos eletrônicos, ele pode utilizar o "amarelinho" para o segundo trecho da viagem e pagar apenas metade da tarifa, R$1,40, também obedecendo ao período de duas horas para integração. 

Os estudantes gozam dos mesmos benefícios com os valores da Meia Passagem Estudantil, o que significa dizer que pagam R$1,40 pelo primeiro trecho e apenas R$0,70 no segundo. Outra questão importante é que qualquer pessoa pode usufruir dos benefícios da integração, bastando adquirir o cartão avulso Salvador Card. 

domingo, 1 de julho de 2012

Etufor apresenta projeto de faixas prioritárias para ônibus

26/06/2012 - Etufor

A iniciativa permitirá aos usuários de transporte público maior fluidez nas vias. 

A Prefeitura de Fortaleza destinará faixas prioritárias para transporte público na Av. Bezerra de Menezes. A implantação do projeto foi discutida hoje em reunião entre técnicos da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) e representantes dos sindicatos das empresas de ônibus e permissionários de vans, que apoiaram a iniciativa de priorizar o coletivo sobre o individual. 

Estima-se que a circulação preferencial na via aumentará a velocidade operacional dos ônibus, possibilitando maior fluidez no deslocamento e viagens cada vez mais rápidas. 

Inicialmente, em torno de 330 mil pessoas serão beneficiadas com a medida, cuja vantagem é aproveitar a própria infraestrutura viária existente, não sendo necessárias grandes intervenções, além de permitir a redução de combustíveis e de emissões de poluentes nas vias. 

20 anos do sistema integrado 30/06/2012 - Fortalbus Fortaleza completa amanhã 20 anos de implantação do SIT, Sistema Integrado de Transportes, que implantado com certo pioneirismo na região Norte/Nordeste, representou um grande avanço no transporte público da capital cearense. O sistema passou a proporcionar integração física e tarifária através da inauguração dos primeiros terminais integrados no dia 1º de julho de 1992. Além do benefício da tarifa unificada e da possibilidade de pegar mais de um ônibus com o mesmo bilhete, o SIT trouxe outras mudanças, como a padronização visual dos veículos, aquisição de veículos dotados de três portas do tipo “padron” e embarque pela porta dianteira. Outra mudança foi a maneira de arrecadação das empresas, que através da câmara de compensação, passou a ter o repasse de recursos recolhidos na operação de linhas mais lucrativas para as permissionárias das menos lucrativas. O investimento para a implantação do projeto e a aquisição de novos veículos foi garantido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) mediante o atendimento das especificações técnicas exigidas. O poder público entrou com o projeto e a construção de seis terminais no valor total aproximado de US$ 6 milhões. O investimento das empresas privadas, na compra de cerca de 300 ônibus pesados, somou US$ 27 milhões. Os empresários tiveram um ano de carência para o pagamento da dívida. Como as linhas passaram a ser baseadas no sistema tronco-alimentado, as três pinturas tinham o propósito de identificar cada tipo de percurso, onde os troncais eram representados pelos ônibus de cor azul, os circulares pela cor laranja e os alimentadores por verde. Entretanto, a aplicação de veículos em suas respectivas linhas não funcionou ao pé da letra, e com o passar dos anos, apenas o layout azul permaneceu. O sistema foi se organizando aos poucos, além dos terminais de Messejana e Antônio Bezerra, foram inaugurados em 1993 outros quatro terminais de integração, Papicu em janeiro, Lagoa em julho, Parangaba em agosto e Conjunto Ceará em setembro. No mesmo ano, foi realizado testes com o equipamento que fazia a leitura do código de barras das carteiras de estudante, mais tarde implantado em todos os veículos do SIT. Ainda em 1993, foi criado a ETTUSA, vinculado a Secretaria de Transportes do Município (STM), permanecendo até 2006. Em substituição foi criada a ETUFOR - Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza S/A. O SIT deixou a frota de ônibus mais nova, reduzindo a idade média de 4,62 anos em maio de 1992 para 3,66 em 1993. Com a integração, reduziu substancialmente o número de passageiros catracados, ou seja, aqueles que pagam tarifa, onde boa parte dos passageiros passou a pagar apenas uma tarifa diária para cada deslocamento. A velocidade média na linha troncal-paradora e na troncal-expressa aumentou de 15 km/h para 19 km/h. Em 1995, o embarque voltou a ser realizado pela porta traseira. Em novembro do mesmo ano, foi inaugurado o sétimo e último terminal, o Siqueira. Além dos sete terminais integrados fechados, existem dois abertos não integrados localizados no centro da cidade, Praça Coração de Jesus e Praça da Estação. O atual padrão visual dos ônibus de Fortaleza foi concebido no ano 2000, quando o azul passou a ser marca registrada do transporte da capital cearense. As empresas Via Urbana, Fortaleza e São José foram as primeiras a adquirir veículos com a nova pintura padrão. Com o passar dos anos, o Sistema Integrado foi tentando se adequar as necessidades da população, porém, ao mesmo tempo se tornava obsoleto. Hoje, os terminais sofrem com a demanda que cresce a cada dia, obrigando aos órgãos gestores procurar alternativas para minimizar as conseqüências do crescimento da metrópole. Atualmente, Fortaleza possui uma das tarifas integradas mais baratas do País, mantendo o congelamento da tarifa no valor de R$ 1,80 por mais de quatro anos, entre dezembro de 2004 e maio de 2009. Hoje, a tarifa custa R$ 2,00, sendo que aos domingos a tarifa social é R$ 1,40. Iniciado como projeto piloto em julho de 2007, a Integração Temporal surgiu com o objetivo de otimizar o tempo e reduzir os gastos com viagens dos passageiros. Ao invés de precisar ir até um terminal de integração para trocar de ônibus, o usuário passou a trocar de veículo nas próprias vias, com a garantia de que não precisará pagar pelo segundo ônibus. Para isso, basta que o passageiro respeite o tempo de integração temporal e que possua um vale-transporte eletrônico ou uma carteira de estudante com créditos. É necessário que o passageiro conheça também as combinações da sua linha de ônibus, ou seja, quais as linhas que estão integradas com o primeiro ônibus que ele pegou. A partir de 2008, toda a frota passou a ser monitorada pela Etufor através do Global Positioning System (GPS). O sistema auxilia a administração municipal no gerenciamento do transporte público, fornecendo informações diárias sobre o desempenho dos ônibus nas ruas da cidade. Além de ter uma das frotas com menor idade média do país, o sistema integrado de Fortaleza conta com quase 900 veículos equipados com plataforma elevatória. Até 2014, 100% da frota da capital deverá estar adaptada. O primeiro terminal integrado inaugurado em 1992, o de Antônio Bezerra, é também o primeiro a receber obras de reforma e ampliação. Suas obras se arrastam desde 2009 devido ao atraso nas desapropriações, entretanto, o Programa de Transporte Urbano de Fortaleza (Transfor), prevê a entrega do equipamento ainda para este ano. Existe a possibilidade de integração das linhas de ônibus de Caucaia, na Região Metropolitana, com a frota de Fortaleza. Reprodução Quando pronto, o novo terminal modelo de Antônio Bezerra terá sua capacidade ampliada para 350 mil passageiros por dia, além de ser equipado com mais banheiros túneis que servirão de passarela, bicicletário e maior conforto com a ampliação das plataformas de embarque. Outra novidade aguardada pelos fortalezenses é a plena integração do metrô com os ônibus, que deverá inicar pelo terminal de Parangaba, localizado ao lado da estação elevada. Certamente este será um grande benefício para os moradores da região metropolitana, contribuindo para a mobilidade e o bem estar dos usuários do transporte público da capital cearense.

30/06/2012 - Fortalbus

Fortaleza completa amanhã 20 anos de implantação do SIT, Sistema Integrado de Transportes, que implantado com certo pioneirismo na região Norte/Nordeste, representou um grande avanço no transporte público da capital cearense. O sistema passou a proporcionar integração física e tarifária através da inauguração dos primeiros terminais integrados no dia 1º de julho de 1992.

Além do benefício da tarifa unificada e da possibilidade de pegar mais de um ônibus com o mesmo bilhete, o SIT trouxe outras mudanças, como a padronização visual dos veículos, aquisição de veículos dotados de três portas do tipo “padron” e embarque pela porta dianteira. Outra mudança foi a maneira de arrecadação das empresas, que através da câmara de compensação, passou a ter o repasse de recursos recolhidos na operação de linhas mais lucrativas para as permissionárias das menos lucrativas.

O investimento para a implantação do projeto e a aquisição de novos veículos foi garantido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) mediante o atendimento das especificações técnicas exigidas. O poder público entrou com o projeto e a construção de seis terminais no valor total aproximado de US$ 6 milhões.

O investimento das empresas privadas, na compra de cerca de 300 ônibus pesados, somou US$ 27 milhões. Os empresários tiveram um ano de carência para o pagamento da dívida.


Como as linhas passaram a ser baseadas no sistema tronco-alimentado, as três pinturas tinham o propósito de identificar cada tipo de percurso, onde os troncais eram representados pelos ônibus de cor azul, os circulares pela cor laranja e os alimentadores por verde.


Entretanto, a aplicação de veículos em suas respectivas linhas não funcionou ao pé da letra, e com o passar dos anos, apenas o layout azul permaneceu.


O sistema foi se organizando aos poucos, além dos terminais de Messejana e Antônio Bezerra, foram inaugurados em 1993 outros quatro terminais de integração, Papicu em janeiro, Lagoa em julho, Parangaba em agosto e Conjunto Ceará em setembro. No mesmo ano, foi realizado testes com o equipamento que fazia a leitura do código de barras das carteiras de estudante, mais tarde implantado em todos os veículos do SIT.

Ainda em 1993, foi criado a ETTUSA, vinculado a Secretaria de Transportes do Município (STM), permanecendo até 2006. Em substituição foi criada a ETUFOR - Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza S/A.


O SIT deixou a frota de ônibus mais nova, reduzindo a idade média de 4,62 anos em maio de 1992 para 3,66 em 1993. Com a integração, reduziu substancialmente o número de passageiros catracados, ou seja, aqueles que pagam tarifa, onde boa parte dos passageiros passou a pagar apenas uma tarifa diária para cada deslocamento. A velocidade média na linha troncal-paradora e na troncal-expressa aumentou de 15 km/h para 19 km/h.

Em 1995, o embarque voltou a ser realizado pela porta traseira. Em novembro do mesmo ano, foi inaugurado o sétimo e último terminal, o Siqueira. Além dos sete terminais integrados fechados, existem dois abertos não integrados localizados no centro da cidade, Praça Coração de Jesus e Praça da Estação.

O atual padrão visual dos ônibus de Fortaleza foi concebido no ano 2000, quando o azul passou a ser marca registrada do transporte da capital cearense. As empresas Via Urbana, Fortaleza e São José foram as primeiras a adquirir veículos com a nova pintura padrão.

Com o passar dos anos, o Sistema Integrado foi tentando se adequar as necessidades da população, porém, ao mesmo tempo se tornava obsoleto. Hoje, os terminais sofrem com a demanda que cresce a cada dia, obrigando aos órgãos gestores procurar alternativas para minimizar as conseqüências do crescimento da metrópole.

Atualmente, Fortaleza possui uma das tarifas integradas mais baratas do País, mantendo o congelamento da tarifa no valor de R$ 1,80 por mais de quatro anos, entre dezembro de 2004 e maio de 2009. Hoje, a tarifa custa R$ 2,00, sendo que aos domingos a tarifa social é R$ 1,40.


Iniciado como projeto piloto em julho de 2007, a Integração Temporal surgiu com o objetivo de otimizar o tempo e reduzir os gastos com viagens dos passageiros. Ao invés de precisar ir até um terminal de integração para trocar de ônibus, o usuário passou a trocar de veículo nas próprias vias, com a garantia de que não precisará pagar pelo segundo ônibus.

Para isso, basta que o passageiro respeite o tempo de integração temporal e que possua um vale-transporte eletrônico ou uma carteira de estudante com créditos. É necessário que o passageiro conheça também as combinações da sua linha de ônibus, ou seja, quais as linhas que estão integradas com o primeiro ônibus que ele pegou.

A partir de 2008, toda a frota passou a ser monitorada pela Etufor através do Global Positioning System (GPS). O sistema auxilia a administração municipal no gerenciamento do transporte público, fornecendo informações diárias sobre o desempenho dos ônibus nas ruas da cidade.


Além de ter uma das frotas com menor idade média do país, o sistema integrado de Fortaleza conta com quase 900 veículos equipados com plataforma elevatória. Até 2014, 100% da frota da capital deverá estar adaptada.

O primeiro terminal integrado inaugurado em 1992, o de Antônio Bezerra, é também o primeiro a receber obras de reforma e ampliação. Suas obras se arrastam desde 2009 devido ao atraso nas desapropriações, entretanto, o Programa de Transporte Urbano de Fortaleza (Transfor), prevê a entrega do equipamento ainda para este ano. Existe a possibilidade de integração das linhas de ônibus de Caucaia, na Região Metropolitana, com a frota de Fortaleza.


Reprodução
Quando pronto, o novo terminal modelo de Antônio Bezerra terá sua capacidade ampliada para 350 mil passageiros por dia, além de ser equipado com mais banheiros túneis que servirão de passarela, bicicletário e maior conforto com a ampliação das plataformas de embarque.

Outra novidade aguardada pelos fortalezenses é a plena integração do metrô com os ônibus, que deverá inicar pelo terminal de Parangaba, localizado ao lado da estação elevada.

Certamente este será um grande benefício para os moradores da região metropolitana, contribuindo para a mobilidade e o bem estar dos usuários do transporte público da capital cearense.