quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Com reestruturação, 21 regiões de Salvador terão mudanças nas linhas de ônibus; confira

03/10/2017 - G1 BA

Alterações irão ocorrer neste mês de outubro e envolvem a primeira fase de reintegração do transporte coletivo.


Ao menos 21 regiões terão mudanças no transporte de ônibus neste mês de outubro (Foto: Juliana Almirante/G1)
Ao menos 21 regiões terão mudanças no transporte de ônibus neste mês de outubro (Foto: Juliana Almirante/G1) 

A Prefeitura de Salvador anunciou nesta terça-feira (3) uma série de reestruturações no sistema de transporte coletivo, que já começam a operar neste mês de outubro. A data exata para implantação das novidades não foi divulgada.

Segundo a Prefeitura, as mudanças devem facilitar a vida de quem utiliza ônibus ou metrô dentro da capital baiana, com redução do tempo de deslocamento, maior oferta de linhas nos bairros periféricos e comodidade aos usuários.

Neste mês de outubro, será implementada a primeira fase da reestruturação. Ao todo, serão quatro fases. Segundo a Prefeitura, a expectativa é que todas as mudanças sejam implantadas aos poucos, até fevereiro de 2018.

As regiões que passarão por mudança a partir desse mês de outubro são Alto do Peru, Fazenda Grande do Retiro, Capelinha, Bom Juá, Pau Miúdo, IAPI, Santa Mônica, Conjunto Marback, Stiep/Centro de Convenções, Vale do Matatu, Cabula, Pernambués, Saboeiro, São Gonçalo do Retiro, Nossa Senhora do Resgate, Conjunto ACM/Arraial do Retiro, Engomadeira, Arenoso, Tancredo Neves, Mata Escura/Jardim Santo Inácio, Sussuarana/Nova Sussuarana/Novo Horizonte.

Confira aqui, de forma detalhada, o que irá mudar nas linhas de ônibus

Também nesta primeira fase, a estação de ônibus do Acesso Norte passará a funcionar como transbordo, o que significa que várias linhas de bairro sairão com destino a esse equipamento, e vice-versa, nos mesmos moldes da Lapa ou de Pirajá.

Atualmente, a estação de transbordo do Acesso Norte funciona apenas para a parada pontual de algumas linhas. As linhas distribuidoras para esta fase serão Acesso Norte-Barroquinha (com frota de dez veículos e intervalo de cinco minutos) e Acesso Norte-São Joaquim/Comércio (com frota de seis veículos e intervalo de 15 minutos).

Essas linhas darão cobertura aos destinos Sete Portas, Barroquinha, San Martin, Calçada, São Joaquim e Comércio. Bairros como Conjunto Marback, Vale do Matatu, Sussuarana e Nova Sussuarana, Mata Escura, Jardim Santo Inácio e Tancredo Neves leverão passageiros até a estação Acesso Norte.

Dentre as mudanças, a prefeitura exemplifica que no bairro do Alto do Peru o atendimento do sistema de transporte passa de um intervalo de 70 para 22 minutos. E se antes o sistema da região previa 10 viagens por dia, com as alterações serão 30. Será mantido o atendimento para Sete Portas/Barroquinha com a linha que será criada na estação Acesso Norte para a Barroquinha.

Haverá, ainda, novos atendimentos: Lapa, que permitirá acesso à estação Pirajá, através da linha 1 do metrô, e às estações Iguatemi, Paralela, CAB e Mussurunga, através da linha 2 do metrô; San Martin/Calçada/São Joaquim/Comércio, com linha que será criada na estação Acesso Norte para S. Joaquim/Comércio; e região do Cabula, através das linhas de ônibus da estação Acesso Norte.

As mudanças também serão significativas para quem utiliza transporte público nas regiões de Sussuarana, Nova Sussuarana e Novo Horizonte. As linhas Sussuarana-Barroquinha e Novo Horizonte-Barroquinha serão substituídas pela Novo Horizonte/Sussuarana-Acesso Norte.

Com isso, o atendimento do bairro passa de um intervalo médio de 85 para 20 minutos, e sai de 26 para 33 viagens por dia. Quem sair dessas regiões em direção a Sete Portas/Barroquinha deverá ir até a estação Acesso Norte e realizar a integração. Isso permitirá ainda acesso às demais estações do metrô.
Antes do início da reestruturação, a Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob) antecipou que serão realizadas 15 reuniões nas sedes das Prefeituras-Bairro para informar à população os detalhes das mudanças. Os encontros começam a partir desta terça-feira.

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Prefeitura autoriza integração entre ônibus e transporte complementar, mas divisão tarifária gera impasse

21/09/2017 - G1 BA

Empresas de ônibus querem que divisão seja feita da mesma forma que ocorre com metrô, o que não é aceito pelas concessionárias do transporte complementar.

Transporte complementar em Salvador. (Foto: Juliana Freitas/G1 Bahia)
Transporte complementar em Salvador. (Foto: Juliana Freitas/G1 Bahia)

A Prefeitura de Salvador informou, na quarta-feira (20), que a integração entre os micro-ônibus das Cooperativas de Transporte Complementar (STEC) e os coletivos das Concessionárias do Sistema de Transporte Público por Ônibus (STCO) foi autorizada pela Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob). Apesar disso, há agora um impasse com relação à divisão tarifária entre os dois sistemas.

A integração é uma reivindicação do trabalhadores do transporte complementar, que, também na quarta, fizeram um protesto pacífico pela cidade para cobrar o procedimento seja feito.

O sistema convencional de ônibus municipal possui 530 linhas. Já o STEC detém 47 linhas na cidade. Com a decisão, a prefeitura amplia a capacidade de integração na capital, através do chamado Bilhete Único. No entanto, conforme a gestão municipal, agora, cabe às cooperativas e às concessionárias a definição da divisão tarifária de R$ 3,60 para começar o processo.

As empresas de ônibus sugerem que as concessionárias do transporte complementar fiquem com 40% do valor da tarifa, enquanto o restante vai para os coletivos das Concessionárias do Sistema de Transporte Público. Essa divisão, no entanto, não é aceita pelas concessionárias do transporte complementar.

"Em nenhum lugar, existe uma divisão dessas. E a gente ainda tem que pagar uma taxa de administração do TransCard, que é de 6%. Ou seja, vamos ficar com menos ainda do que o valor que eles propõem, que é de R$ 1,42. Não tem como sobreviver assim, sem nenhum subsídio, diante do custo que temos hoje para operar os ônibus", destacou Pedro Miranda, presidente de um das duas cooperativas que integram a STEC.

Para Miranda, as coopetativas deveriam receber R$ 1,80 da integração. "Era isso que estava combinado, e é isso que ocorre em todo o lugar. A prefeitura não pode fazer isso: deixar as empresas de ônibus decidirem. Em todo lugar do país onde teve integração a tarifa negociada foi de R$ 1,80. Já aqui essa proposta é injusta demais. Não vai ter acordo nunca", destacou.

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Terminal do Bela Vista fará integração apenas com cartão eletrônico

06/08/2017 - Via Agora

A medida começa valer a partir deste sábado (12), os bilhetes de ocorrência não serão mais aceitos.

JOSEFA GEOVANA
    
A Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) determinou que a partir de sábado (12) a integração no terminal de ônibus do bairro Bela Vista, na Zona Sul só poderá ser feita por meio do cartão eletrônico.

Foto: Prefeitura de Teresina
Terminal de ônibus do bairro Bela Vista.
Terminal de ônibus do bairro Bela Vista.

Durante o período de testes no início do funcionamento do terminal, foram implantados os “bilhetes de ocorrência” para facilitar a integração, mas ele não será mais aceito. A partir do dia 12 só será possível fazer integração os usuários que portarem o cartão de estudante, expresso ou do trabalhador.

“Fizemos a utilização desse bilhete, também da zona Sul, para que as pessoas se acostumassem com o novo sistema, mas agora os usuários já entenderam como é o funcionamentos do terminal. Chegou o momento de retirar o uso desse bilhete”, disse Francisco Nogueira, diretor de Transportes Públicos da Strans.

Os usuários de ônibus que ainda não possuem o cartão eletrônico e querem fazer uso da integração, podem adquiri-lo nos terminais de integração ou nos pontos de vendas do Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (setut).

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Integração de ônibus deve ser inaugurada em dezembro

 02/08/2017 - Jornal Meio Norte

 Mayara Valença 

Atrasos nas entregas de equipamentos podem causar um atraso de quatro meses na entrega dos corredores de ônibus das Avenidas Miguel Rosa e Barão de Gurgueia, na zona sul de Teresina. Segundo a engenheira da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans), Adélia Melo, para uma matéria do Jornal Meio Norte de 25 de março de 2017, os corredores das avenidas Miguel Rosa e Barão de Gurgueia teriam previsão para serem entregues até agosto de 2017. Ela afirmou que “a maioria dos serviços são terceirizados, tudo vem de fora e demora um pouco. Quando a porta chegar, começaremos a fechar e colocar ar-condicionado, fica praticamente concluído”. No entanto, o mês de agosto iniciou e as obras das duas avenidas ainda não foram concluídas.

A engenheira explicou que não houve um novo cronograma, mas os atrasos aconteceram na entrega de aparatos necessários às instalações dos corredores. “É por questões de obras, que às vezes têm certos atrasos no andamento e os equipamentos demoram a chegar. Mas queremos e vamos entregar todos o sistema de integração, com corredores e terminais, até dezembro. Todos os problemas serão solucionados: reparos, todos os buracos hoje presentes devido às chuvas serão recuperados”, ela garante.

Sobre as elevações e rebaixamentos à altura dos pontos de embarque e desembarque dos corredores, a engenheira explica que será instalada uma nova sinalização nas vias. “O corredor será segregado, com tachões separando a via do corredor das outras vias. Também haverá semáforos de pedestres e sinalizações horizontal e vertical, além de instruções para que a população entenda como funcionará o sistema”, disse Melo.

Ela ainda enfatiza que os terminais que hoje funcionam aos finais de semana a título de experiência passarão a funcionar junto à estrutura que ainda falta ser finalizada, dando início à efetiva integração em Teresina.

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Prefeitura instala novas paradas de ônibus na zona sul de Teresina

14/06/2017  - Viagora

Os locais foram escolhidos pela Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans), que realizou um estudo para iniciar a implantação nos bairros mais afastados do centro da cidade.

ISABELA DE MENESES

A Prefeitura de Teresina prometeu instalar até o final do mês de junho, 27 novos abrigos para passageiros de ônibus na zona sul da capital. Os bairros contemplados são, Cerâmica Cil, Salobro, Parque dos Sonhos, Recanto dos Pássaros e Angelim. 

Os locais foram escolhidos pela Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans), que realizou um estudo para iniciar a implantação nos bairros mais afastados do centro da cidade. 

Equipes da Strans farão novas visitar aos outros bairros da capital para ampliar os serviços, e além da construção de novos abrigos, a Strans irá substituir os que estão danificados.

Foto: Divulgação/GPE
Novos modelos de paradas de ônibus
Novos modelos de paradas de ônibus

Segundo o gerente de Engenharia de Tráfego, José Lopes, também aconteceu uma visita a alguns bairros para avaliar os abrigos já existentes. “Avaliamos os abrigos que já existem e que estão em más condições, por isso vamos substitui-los por novos abrigos de metalon”.

O gerente ainda ressaltou que em alguns bairros não existem os abrigos, nesses casos os equipamentos serão implantados o mais rápido possível. “Estamos fazendo muitas obras para a melhoria do transporte público e os novos abrigos estão incluídos nessas ações. Os abrigos serão implantados levando em consideração o espaço físico determinado para cada um deles”, concluiu.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Teresina recebe novos ônibus BRT com ar-condicionado e ainda Wi-Fi

12/06/2017 - 180 Graus

Foto: Divulgação /Facebook Prefeitura de Teresina

A Prefeitura de Teresina anunciou que a zona Sul conta com mais cinco unidades do BRT em sua frota. Esses ônibus estão equipados com ar condicionado, suspensão pneumática (ar), motor traseiro, câmbio automático e Wi-Fi gratuita.

O sistema de transporte coletivo BRT – “Bus Rapid Transit” que, na versão do inglês significa Transporte Rápido por Ônibus, é um sistema que proporciona ao passageiro, mobilidade urbana rápida, confortável, eficiente e segura, por meio de infraestrutura segregada com prioridade de ultrapassagem em operação rápida e frequente.

O BRT foi implantado pela primeira vez no Brasil em 1974, na cidade de Curitiba, durante o mandato do então prefeito Jaime Lerner que também é arquiteto. De lá para cá, diversas cidades aderiram ao sistema como, Porto Alegre, Belo Horizonte, São Paulo e Rio de janeiro.

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Passageiros relatam receio em pegar ônibus

27/05/2017 - G1 AM

Em ambas as situações, a reação dos passageiros pode ter sido determinante para que os óbitos viessem a ocorrer

por Yuri Abreu

Medo e receio. Esses, são alguns dos sentimentos que tomam conta dos passageiros que necessitam usar os ônibus para se deslocar pela capital baiana, principalmente se for levado em conta o número de mortes ocorridas nos últimos 30 dias dentro dos coletivos: três, sendo duas apenas na última semana, uma registrada na região do Aquidabã e outra na Avenida Paralela. Em ambas as situações, a reação dos passageiros pode ter sido determinante para que os óbitos viessem a ocorrer.

Além disso, de acordo dados do Sindicato dos Rodoviários, houve pouco mais de 870 assaltos a coletivos apenas neste ano em Salvador, um aumento de 14% em relação a 2016, quando foram registradas 762 ofensivas a ônibus. “São índices que nos preocupam, pois apesar de todo o empenho do Gerrc [Grupo Especial de Repressão a Roubos em Coletivos, da Polícia Civil] e da Operação Gêmeos [da Polícia Militar], os números continuam crescentes. Temos ouvido relatos de companheiros que tem se mostrado receosos com a situação”, comentou Daniel Mota, diretor de comunicação de sindicato.

Nas ruas, passageiros relatam viverem momentos de tensão por conta da sensação de insegurança dentro dos coletivos. “Eu já ando com medo, imaginando que eles podem entrar a qualquer momento e anunciar o assalto. Além disso, eles são muito agressivos, mesmo com quem não tem qualquer tipo de reação”, afirmou a diarista Rosália Gomes. 

Já assaltado em outras oportunidades, o estudante Rodrigo Yunes, aumentou os cuidados e diz ter algumas estratégias para não sofrer tanto durante as ações dos bandidos. “Quando preciso pegar ônibus, levo um celular que serve apenas para realizar ligações. Além disso, Já levo comigo uma certa quantia em dinheiro, apesar de usar o Salvador Card para pagar a passagem”, explicou.

MUDANÇAS

Apesar de ter ressaltado o empenho das autoridades, o diretor de comunicação do Sindicato dos Rodoviários, Daniel Mota, disse que algumas reuniões, entre a categoria e os órgãos de segurança, necessitam ser feitas para se discutir novas estratégias e atuação para coibir os assaltos. “É um problema complexo no qual o governo poderia ajudar, investindo mais para melhorar a questão, principalmente na parte de inteligência, podendo se antecipar aos bandidos”. Nesta semana, a Polícia Civil prendeu o homem responsável pelo assassinato do servente Enéas Santana, que foi morto após reagir a um assalto a ônibus na Avenida Paralela, no último sábado.

Por outro lado, para as autoridades policiais, a recomendação para se evitar novas tragédias é a de que o passageiro não reaja às abordagens, procurando manter a calma, já que o assaltante, que está sob forte estresse, pode a qualquer momento cometer o ato de matar aquele que reaja ou se negue a passar os pertences.