sexta-feira, 26 de junho de 2015

Kassab dá início a implantação do corredor do BRT em Feira de Santana

26/06/2015 - Ministério das Cidades

mapa_brt_feiradesantana

mapa_brt_feiradesantanaNa próxima segunda-feira, o ministro das Cidades, Gilberto Kassab, dará início à implantação dos corredores do BRT, João Durval e Getúlio Vargas, em Feira de Santana (BA). O investimento é de R$ 94,85 milhões, sendo R$ 90,11 milhões por meio financiamento do governo federal e R$ 4,74 milhões de contrapartida da prefeitura municipal. Os corredores terão 9,25 km de extensão e, após, concluídos, beneficiarão cerca de 56 mil passageiros por dia.

Desde 2003, o governo federal investiu, por meio do Ministério das Cidades, R$ 31,9 bilhões nas áreas de habitação, mobilidade urbana, saneamento e infraestrutura no Estado da Bahia. Somente em Salvador, foram investidos R$12,8 bilhões. Já em Feira de Santana, o investimento foi de R$ 2,8 bilhões, sendo R$ 94,8 milhões para a área de mobilidade urbana e R$ 2,4 bilhões para a construção de 39.202 unidades habitacionais, no âmbito do Programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV).

Serviço

Início das obras do BRT Corredor João Durval e Getúlio Vargas
Data: Segunda-feira (29/06)
Horário: 10h
Local: Rua Sítio Novo, bairro Sítio Novo

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Ministério das Cidades e prefeitura de Salvador não se entendem quanto à obra do BRT

18/06/2015 - Bahia Notícias

O Ministério das Cidades e a prefeitura de Salvador trazem informações contraditórias no que tange ao início das obras de construção do BRT  - Bus Rapid Transit – de Salvador, cuja primeira fará o trajeto entre Estação da Lapa à Ligação Iguatemi-Paralela (LIP).

De acordo com a prefeitura, a pendência depende do Ministério das Cidades liberar o valor referente ao governo federal para que a obra possa ser licitada. A justificativa vem sendo dada pelo secretário de Mobilidade, Fábio Mota, e pelo próprio prefeito ACM Neto (DEM), quando questionados pela imprensa.

Como nenhum dos dois apresentava um prazo, o Bahia Notícias entrou em contato diretamente com o Ministério. O gabinete, então informou que a demora não parte deles, já que aguardam receber o Plano de Mobilidade de Salvador.

"Em atenção à solicitação de informações da contratação do BRT Lapa-Iguatemi da Prefeitura de Salvador, esclarecemos que a Lei de Mobilidade nº 12.587 de 2012, em seu Art. 24, Parágrafo 4º define que os municípios que não tenham elaborado o Plano de Mobilidade não poderão receber recursos do orçamento federal até que tenha regularizado a questão. Portanto, neste momento, aguardamos a informação da prefeitura de Salvador quanto ao cumprimento da legislação para efetuarmos o empenho inicial que possibilitará a contratação do referido projeto", diz a nota do gabinete

terça-feira, 16 de junho de 2015

Faixas preferenciais para ônibus ainda confundem

16/06/2015 - O Estado do Maranhão

Desrespeitos de ambos os lados. É dessa forma que motoristas de veículos e de ônibus se comportam em relação às faixas preferenciais para coletivos existentes em algumas avenidas de São Luís. Nas vias onde existem essas faixas, os ônibus deveriam trafegar por elas enquanto que os veículos de passeio teriam de trafegar pelas demais, contudo, não é isso o que acontece.

As faixas preferenciais foram adotadas para estabelecer algum tipo de prioridade para o transporte público por meio de projetos de intervenção de baixo custo financeiro, melhorando o tráfego de veículos e diminuindo os congestionamentos. Essas faixas são consideradas preferenciais e não exclusivas por causa da existência de conversões à direita para realização de retornos e cruzamentos.

Locais – Na capital maranhense, as faixas preferenciais estão presentes nas avenidas Casemiro Júnior (Anil), Colares Moreira (Renascença) e Marechal Castelo Branco (São Francisco), mas o que se observa nessas vias é o desrespeito às legislações de trânsito. Somente os condutores de ônibus poderiam permanecer na faixa preferencial, enquanto que os demais motoristas deveriam trafegar na faixa para realizar as conversões ou ter acesso a estacionamentos. Porém, o que se observa constantemente são diversos automóveis e motocicletas trafegando por vários metros na faixa que é preferencial para os veículos de transporte de passageiros.

Como se não bastasse essa situação, na manhã de ontem O Estado flagrou veículos estacionados na Avenida Colares Moreira na faixa que é preferencial para ônibus. Na pista, existe também a faixa amarela demarcada no chão, indicando que é proibido o estacionamento na via, porém a sinalização é ignorada pelos motoristas.

Os condutores de ônibus também desrespeitam as normas e muitas vezes não trafegam pela faixa preferencial (pois ela já está tomada por veículos de passeio) e transitam pelas faixas da pista localizada à direita, contribuindo para deixar o trânsito lento.

Além disso, o trânsito de veículos de grande porte, como ônibus, apresenta peculiaridades como mostra o artigo 29 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). De acordo com a norma, quando uma pista de rolamento comportar várias faixas de circulação no mesmo sentido, são as da direita destinadas ao deslocamento dos veículos mais lentos e de maior porte, porém o que se observa algumas vezes na cidade são condutores de ônibus trafegando pela faixa da esquerda, mesmo em avenidas onde existem faixas preferenciais para esses tipos de veículos.

O Estado entrou em contato com a Prefeitura de São Luís para saber como é feita fiscalização nas faixas de tráfego preferenciais para os ônibus, mas até o fechamento desta edição nenhuma resposta foi obtida.

MAIS

De acordo com a Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), entre os principais objetivos da faixa preferencial estão: garantir prioridade no sistema viário ao transporte coletivo; aumentar a velocidade operacional dos ônibus; diminuir o tempo do passageiro dentro do veículo; permitir maior fluidez na circulação viária para os ônibus; e reduzir os custos do transporte.

sábado, 13 de junho de 2015

Avenida de Fortaleza recebe blocos de concreto em faixa exclusiva de ônibus

13/06/2015 - G1 CE

Avenida Bezerra de Menezes é uma das mais movimentadas de Fortaleza.

Concreto deve impedir invasão por parte de carros e motos.


concreto começou a ser instalado na quarta-feira (Foto: Diana de Vasconcelos / G1 CE)
começou a ser instalado na quarta-feira (Foto: Diana de Vasconcelos / G1 CE)

A Secretaria de Infraestrutura de Fortaleza (Seinf) deu início nesta semana à instalação de blocos de concreto na faixa exclusiva de ônibus ao longo da Avenida Bezerra de Menezes. Segundo o órgão, as duas faixas situadas junto ao canteiro central da avenida serão separadas pelos obstáculos de concreto delimitando a circulação dos coletivos e impedindo que outros veículos usem de forma irregular as faixas exclusivas de ônibus.
 
Abrigo realiza feira de adoção de cães e gatos em Fortaleza

A medida, conforme a Seinf, faz parte da implantação do Corredor Expresso Fortaleza, e tem como objetivo "garantir" a funcionalidade do corredor expresso. Até o dia 30 de junho, os ônibus articulados passarão a operar nas estações especiais, situadas junto ao canteiro central, fazendo o embarque e desembarque de passageiros utilizando sistema de portas automatizadas e sincronizadas com os coletivos, para maior segurança nas viagens.
Segundo a Autarquia Municipal de Trânsito (AMC), a área reservada se trata de um corredor exclusivo para ônibus, por este motivo, táxis e transporte escolar não podem mais trânsitar no local, assim como os carros de passeio não estarão mais liberados nos feriados e domingos. Ainda de acordo com a AMC, essas exceções só valem para as faixas exclusivas, ou seja, aquelas existentes nas Avenidas Domingo Olímpio e Antônio Sales, por exemplo.
 

Um ano após a Copa, Pernambuco tem 4 obras de mobilidade inacabadas

12/06/2015 - G1 PE

Vinte e seis quilômetros separam a casa de Ubiracy Antônio da Silva, em Abreu e Lima, no Grande Recife, do trabalho dele, no Barro, Zona Oeste da capital. No percurso, o operário de 46 anos enfrenta dois terminais integrados e três ônibus. É pelo menos uma hora e meia de viagem. Em 2009, ele achou que o trajeto ia melhorar. Na época, o Governo de Pernambuco anunciou um pacote de obras de mobilidade que prepararia a Região Metropolitana do Recife para a Copa do Mundo de 2014. Um ano depois do Mundial, no entanto, boa parte das obras anunciadas não ficou pronta. Por isso, Ubiracy ainda não pode usufruir do terminal ou das estações de BRT que seriam construídas perto de casa.

Os equipamentos fazem parte do Corredor Norte/Sul, que vai ligar cinco cidades do Grande Recife por meio do Bus Rapid Transit (BRT). A ideia é a mesma no Corredor Leste/Oeste, que sai de Camaragibe em direção ao Centro do Recife. Juntos, os corredores de BRT apresentavam-se como o principal legado da Copa do Mundo para a população pernambucana, já que prometiam facilitar o fluxo de passageiros entre as cidades de Igarassu, Abreu e Lima, Paulista, Olinda, Recife e Camaragibe. No entanto, passado um ano do torneio, parte dos corredores ainda está sem funcionar. A Via Mangue e o Ramal da Copa, igualmente previstos para 2014, também operam parcialmente. E os terminais integrados que compõem os corredores nem foram inaugurados.

Em Camaragibe, o atraso é o mais evidente. A cidade iria ganhar quatro estações de BRT do Corredor Leste/Oeste na sua avenida principal, a Belmino Correia. No entanto, nenhuma delas foi construída. Os operários chegaram a montar as bases das estações, mas pararam de trabalhar. Agora, um ano depois da Copa, não se sabe quando o serviço será retomado. O Governo de Pernambuco admite que não há previsão e, por meio da Secretaria das Cidades, explica que a obra foi suspensa por questões contratuais. Por isso, oito das 24 estações previstas para o Corredor Leste/Oeste ainda não recebem passageiros. Dessas, quatro continuam em construção na Rua Benfica e na Avenida Conde da Boa Vista, no Recife. As outras quatro são as que ainda serão erguidas na Belmino Correia.

Sem as estações prontas, a principal avenida de Camaragibe não suporta o embarque nem o desembarque de passageiros nos veículos BRT. Os ônibus rápidos saem do TI da cidade e passam pela via, mas não encontram um local apropriado para a parada. Por isso, só voltam a receber usuários na Caxangá. "A gente só olha eles passando, sem poder pegar", lamenta o vigilante Bartolomeu Bernardo, 58, enquanto espera o ônibus em uma parada que deveria ser uma estação de BRT na Belmino Correia. "Começaram a fazer e pararam. Por isso, a gente continua aqui, esperando quase uma hora por um ônibus lotado", reclama, explicando que, para usar o BRT, precisa antes pegar um ônibus para o Terminal Integrado da cidade.

A técnica em enfermagem Elcineide Gomes, 48, sabe muito bem como é a manobra. Ela mora em Camaragibe e trabalha no Centro do Recife. É o mesmo caminho previsto pelo Corredor Leste/Oeste. No entanto, nem a estação da esquina de casa nem a mais próxima do trabalho de Elcilene estão prontas. Para fazer o trajeto com o BRT, que é mais rápido que o ônibus comum por desfrutar de uma via exclusiva, ela caminha por cerca de dez minutos de casa para o TI Camaragibe. No terminal, pega o BRT até o Derby e, de lá, apanha outro ônibus para chegar à Avenida Conde da Boa Vista. "Se tudo estivesse pronto, ia ser mais rápido e mais barato. Com uma única passagem, ia da rua de casa até a do trabalho", diz a técnica em enfermagem, que sai de casa às 5h para chegar ao trabalho às 7h.

Futuro usuário do Corredor Norte/Sul, Ubiracy Antônio também sai de casa cedo, já que ainda não pode usufruir das estações de BRT nem do Terminal Integrado de Abreu e Lima. Na volta do trabalho, perde ainda mais tempo no trânsito. Sai às 17h30 do Barro, mas só chega em casa depois das 20h. O BRT poderia ajudar bastante, mas o governo anuncia uma coisa e não termina. É um absurdo, começaram isso há muito tempo, já era para ter terminado, diz, revoltado.

Segundo a Secretaria das Cidades de Pernambuco, o restante do Corredor Norte/Sul vai entrar em operação até o fim de julho, mais de um ano depois da Copa. Hoje, 19 das 25 estações de BRT que vão compor o equipamento estão funcionando. Das seis em construção, três serão entregues ainda este mês: as duas da BR-101, em Paulista e Igarassu; e a da PE-15, em Olinda. Em julho, serão inauguradas as estações da Avenida Pan Nordestina, em Olinda, e as duas da Avenida Cruz Cabugá, no Recife. Também no próximo mês, deve ser aberto o TI de Abreu e Lima e a passarela de pedestres que vai ligá-lo à BR-101.

Orçado em R$ 187 milhões, o Corredor Norte/Sul atende atualmente 41 mil passageiros diariamente, conforme expectativa da Secretaria das Cidades. Quando estiver em pleno funcionamento, a demanda deve ser de 180 mil passageiros/dia.

Já no caso do Leste/Oeste não há prazo, de acordo com a Secretaria das Cidades, para que o corredor entre em completa operação. Ainda é preciso finalizar 20% da obra, contratada por R$ 168 milhões. Além das quatro estações inacabadas no Recife e as quatro que continuam sem previsão de início de construção em Camaragibe, também não foram inaugurados dois terminais integrados previstos no projeto. Os TIs ficam nas 3ª e 4ª perimetrais e parecem prontos, mas permanecem de portas fechadas. A previsão é que o Leste/Oeste transporte 155 mil passageiros/dia quando todas as estações forem entregues.

Outras obras

Em Pernambuco, o atraso não ficou apenas nos corredores de BRT. Na verdade, afetou todas as obras de mobilidade prometidas pelo Governo do Estado para a Copa do Mundo de 2014. A passarela que liga o aeroporto ao Metrô do Recife, por exemplo, foi entregue a dois dias do início do Mundial, seis meses depois do previsto. No Terminal Integrado Cosme e Damião, localizado em São Lourenço da Mata, o atraso foi de um ano e meio. O Túnel da Abolição também não cumpriu o cronograma inicial, que acabava em janeiro de 2014, e só foi liberado em abril deste ano. E o Aeroporto Internacional do Recife ainda deixou de ganhar uma torre de controle. A obra foi abortada porque o Departamento de Controle de Espaço Aéreo (Decea) não conseguiu terminar o projeto a tempo. Agora, um ano depois do Mundial, o atraso continua no Ramal da Copa e na Via Mangue.

O Ramal da Copa é a estrutura viária que rodeia a Arena Pernambuco e faz sua ligação com o Terminal Integrado de Camaragibe. O Ramal Interno, que permite a circulação nos arredores do estádio, foi concluído um mês antes da Copa das Confederações, em junho de 2013. Já o Externo, que vai da Arena ao terminal de ônibus, beneficiando a população local, teve a obra paralisada. A construção atrasou por impasses na desapropriação de imóveis e por causa das chuvas. Depois, ainda esbarrou em problemas contratuais. Por isso, o ramal tem um quilômetro a menos que o previsto um trecho de asfalto desgastado, com acostamento tomado por terra e mato alto, nos arredores do TI de Camaragibe. Ao G1, a Secretaria das Cidades informou que está negociando com a empresa responsável pelo projeto a retomada do serviço. Mas, por enquanto, não há previsão para o reinício das obras.

A pasta também tenta um acordo com as empresas contratadas para a obra do Túnel da Abolição, na Zona Oeste do Recife. O equipamento foi inaugurado em abril deste ano, mas ainda precisa de acabamento. A praça prevista para a área externa do túnel também não foi finalizada. No entanto, segundo a Secretaria das Cidades, não há previsão para a retomada dos serviços.

Já a Via Mangue, que é de responsabilidade da Prefeitura do Recife, só deve ser concluída em dezembro deste ano. O empreendimento funciona do Centro à Zona Sul da capital pernambucana. No entanto, continua com a pista de sentido contrário fechada. A população não entende o motivo de ainda não poder fazer o caminho Zona Sul/Centro. O Executivo municipal explica que a pista está pronta, mas ainda precisa de calçamento e de três vias de acesso. O equipamento também deve receber ciclovia e uma alça. Quando finalizado, terá seis pontos de acesso, nas ruas Maria Carolina, Tenente João Cícero, Padre Bernardino Pessoa, Professor Eduardo Wanderley Filho, Henrique Capitulino e Tomé Gibson.

A prefeitura ainda explicou que a Via Mangue não foi concluída no prazo previsto inicialmente por causa de um atraso na liberação do convênio celebrado com a Caixa Econômica Federal no valor de R$ 81 milhões. Mesmo assim, segundo o Executivo, falta concluir apenas 2% da obra. Hoje, operários trabalham para terminar tudo até dezembro, um ano depois do segundo prazo estabelecido para a obra.


sábado, 6 de junho de 2015

Estações de BRT em Recife se degradam com obras paralisadas

06/06/2015 - Jornal do Commercio - PE

Enquanto a licitação para contratar uma nova construtora que substitua o Consórcio Mendes Júnior – Servix Engenharia S/A não sai, as estações de BRT (ônibus de trânsito rápido) do Corredor Leste-Oeste não concluídas se degradam a olhos vistos. As seis paradas da Avenida Conde da Boa Vista, no Centro do Recife (por onde circulam 22% das linhas de ônibus da Região Metropolitana) são o retrato de uma obra que se perdeu em meio à falta de planejamento do poder público. Seriam provisórias, tornaram-se definitivas e, com a obra paralisada desde novembro, estão tomadas por lixo, pichações e ferrugem.

A situação mais crítica é a da estação em frente ao Colégio São José. Lá, móveis velhos dividem espaço com restos de comida, lixo e um mau cheiro insuportável. Comerciantes da área dizem que, à noite, o espaço "serve para tudo", inclusive como abrigo de moradores de rua. Alguns pedestres se arriscam a cortar caminho por dentro da estação, outros tapam o nariz e mudam de rumo ao ver o cenário em que ela se encontra.

Na estação em frente ao Atacado dos Presentes a ferrugem se espalha por todos os lados. A estrutura de sustentação também está empenada, aparentemente vestígios de um acidente de trânsito. As outras não estão muito diferentes.

"É um descaso do poder público. Não sei o que estão fazendo com o dinheiro do povo, foi gasto muito aqui e não acredito que vão terminar a obra", afirma a blogueira Liliane Messias, 25 anos. A aposentada Ana Falcão, 66, diz que é constrangedor não só as estações abandonadas, mas o fato de ver o BRT passando pela via sem poder usá-las. "Eu moro aqui perto, mas tenho que pegar um ônibus até a Avenida Guararapes para usar o BRT, isso é uma esculhambação".

As estações da avenida foram projetadas como uma alternativa provisória para colocar o corredor – que liga Camaragibe a Recife – em funcionamento antes da Copa do Mundo. Ignorando quase todos os princípios do BRT, elas nasceram bem diferente das irmãs: são em chapa metálica perfura e vidro temperado, sem refrigeração como as demais. Bastante estreitas e fora do nível dos BRTs não deixam dúvida do desconforto a ser oferecido quando concluídas, apesar de terem sido orçadas em R$ 316 mil cada, totalizando R$ 1,9 milhão. Detalhe: na avenida circulam 82 linhas de ônibus que transportam, diariamente, cerca de 325 mil passageiros.

As obras do corredor não têm data para serem retomadas. A Secretaria Estadual das Cidades entrou com rescisão contratual e pedido de aplicação de penalidade contra a Mendes Júnior (acusada de envolvimento na Operação Lava Jato, que investiga lavagem de dinheiro e evasão de divisas da Petrobras, por ter parado a obra. Agora vai contratar empresa para levantar o que falta para concluir o corredor e, com esse diagnóstico, fazer nova licitação e contratar a construtora que dará continuidade à obra, orçada em R$ 145,3 milhões e prevista para ser concluída há 18 meses.

No Corredor Norte-Sul (que faz a ligação entre Igarassu e Recife), o passeio da Estação Nossa Senhora do Carmo, no Centro do Recife, também é utilizado como abrigo para a moradora de rua Rosali Freire da Silva, 60 anos. Ela diz que já está lá há dois meses, pois o local a protege do sol e chuva. Lá mesmo acomoda as doações que recebe da população. "Você não arruma uma casa da Cohab para mim?", perguntou ela quando falava com a reportagem. Há pouco tempo, um bar também se instalava no local às sextas-feiras.

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Usuários de Maceió já sentem melhorias após primeiro dia da faixa exclusiva

03/06/2015 - Tribuna Hoje - Maceió

O funcionamento da faixa exclusiva para ônibus nas avenidas Comendador Leão e Dona Constança, nos bairros do Poço e Mangabeiras, respectivamente, teve início na segunda-feira, 1º de junho. Como esperado, o primeiro dia foi considerado tranquilo e a faixa azul, como é conhecida a demarcação pela cor que separa as demais faixas, já vem mostrando bons resultados.

De acordo com a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT), mais de 8.500 passageiros circulam diariamente pelas duas importantes vias da parte baixa da cidade nas linhas de ônibus, que agora passam a ter um lado da pista exclusivo para dar mais celeridade aos veículos públicos coletivos  que trafegam na região.

A nutricionista Bárbara Moraes aprovou e comentou a mudança. Eu sou adepta desse meio de transporte e a faixa exclusiva trouxe agilidade para os ônibus que passam por aqui. Pude perceber que o fluxo dos coletivos está muito mais organizado. Antes, os ônibus mal paravam nos pontos devido à grande quantidade de veículos e hoje, felizmente, não vejo mais esse problema, afirma.

A dona de casa Daniela Fernandes aproveitou para destacar a redução do tempo das viagens, com a implantação da faixa exclusiva. Agora, eu consigo chegar pontualmente aos meus compromissos, frisou.

José dos Santos é motorista de ônibus há 11 anos. Segundo ele, a faixa exclusiva tem ajudado muito, principalmente no cumprimento dos horários. Antes, levava de 20 a 30 minutos para chegar ao Maceió Shopping, na Avenida Dona Constança. Agora, passei a fazer o mesmo trajeto numa média de oito minutos, disse.

É necessário também que os condutores de veículos particulares colaborem com o nosso trabalho e respeitem a faixa exclusiva, acrescentou o motorista. Para uma maior compreensão do uso correto da faixa exclusiva, equipes da SMTT estão presentes nas duas avenidas desde o início desta semana, fazendo o trabalho de orientação aos condutores da região.

A faixa exclusiva nas avenidas Comendador Leão e Dona Constança funciona das 6h às 20h, exceto nos finais de semana e feriados. Durante todo o mês de junho, equipes de educadores de trânsito, agentes de trânsito e fiscais de transportes da SMTT estarão nas vias apenas conscientizando condutores e motoristas de ônibus sobre o período de adaptação.

A partir do mês de julho, quem transitar de forma irregular pela faixa, por onde os condutores de outros veículos só devem transitar para ter acesso às ruas e aos estabelecimentos comercias por no máximo duas quadras, será multado.