terça-feira, 12 de julho de 2016

Entenda como funciona o novo sistema de integração de Teresina

10/07/2016 - G1 PI

Fase de adaptação vem sendo feita na Zona Sudeste da capital. Cerca de 12 novos ônibus com ar-condicionado devem passar a circular

Beto Marques

Zona Sudeste é primeira beneficiada com o Inthegra  (Foto: Beto Marques/G1)
Zona Sudeste é primeira beneficiada com o Inthegra  (Foto: Beto Marques/G1)Zona Sudeste é a primeira beneficiada com o Inthegra. Foto: Beto Marques/G1

Muitos usuários ainda têm dúvidas sobre o novo sistema de transporte público de Teresina, cuja fase de adaptação iniciou no sábado (2). A Zona Sudeste foi a primeira a ser contemplada com a inauguração dos terminais de integração Livramento e Itararé, que funcionarão em fase experimental aos fins de semana durante dois meses.

Ainda como parte do sistema batizado de Inthegra, corredores exclusivos para ônibus estão sendo finalizados em diversas avenidas da capital. Por isso, o G1 Piauí buscou informações para explicar como vai funcionar este novo modelo.

O sistema segue o modelo de linhas 'tronco-alimentadoras', onde os usuários pegam um ônibus em seus respectivos bairros e se deslocam até um Terminal mais próximo. Dos terminais, eles pegam outro ônibus, as chamadas de 'linhas troncais', com destino ao Centro da capital, passando por diversas vias ou pelos shoppings.

Saiba o que é o Inthegra (Foto: Reprodução)
Saiba o que é o Inthegra (Foto: Reprodução)

Muitos usuários alegam falta de informação e ficaram receosos de aderir à nova integração. Residente no bairro Alto da Ressurreição, André Gerson optou por pegar uma van, temendo chegar atrasado ao trabalho.

“As paradas estavam lotadas no sábado. Não posso chegar atrasado ao trabalho, por isso preferi não arriscar. Achei sem lógica ter que pegar um ônibus para o terminal e depois ter que vir pela avenida Barão de Gurgueia, onde desço”, disse.

O gerente de planejamento da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (Strans) explicou alguns pontos. Ele garante que as mudanças reduzirão consideravelmente o tempo das viagens.

Novas linhas e terminais

Em um bairro, por exemplo, que era atendido por uma única linha, agora possui a linha 'alimentadora' que seguirá até o terminal de integração mais próximo. De acordo com o gerente de planejamento, o novo modelo possibilita que o ônibus circule mais vezes pelo bairro, reduzindo o tempo de espera nas paradas.

“A cidade vai crescendo e, consequentemente, aumenta a distância das linhas. Hoje, o que se tem são as linhas radiais que fazem a ligação direta, saindo da parada final nos bairros indo para o Centro. Com os terminais, as linhas que passavam pelos bairros serão transformadas em alimentadoras e se antes demoravam até 40 minutos para passar, esse tempo passa a ser de até 15 minutos”, explica.

Assim, os usuários irão até os terminais de integração e de lá terão outras possibilidades. O primeiro final de semana de adaptação, entre sábado (2) e domingo (3), foi avaliado de forma positiva pela Strans. Segundo o órgão, os impactos gerados já eram previsíveis, mas ainda é necessário que a população fique atenta ao funcionamento do novo sistema.

Por enquanto, quem sai dos bairros Alto da Ressurreição, Parque Ideal, Renascença, Extrema, Comprida, Parque Jurema, Redonda, Parque Itararé, Boa Esperança, Dirceu I e II e Novo Horizonte já pode usar as novas linhas. A Strans prevê ainda ampliar o Inthegra aos demais bairros da Zona Sudeste, região escolhida para o primeiro período de ajustes.

“Devemos passar estes dois meses fazendo operações nas linhas da Zona Sudeste e, antes de terminar este período, poderemos fazer uma ampliação de bairros atendidos. Posteriormente, quando percebermos que o usuário está por dentro do novo modelo, faremos a extensão para os dias úteis. A intenção é minimizar qualquer tipo de impacto na rotina do passageiro”, destaca Vinícius Rufino.

Quem vai para o Terminal do Itararé poderá pegar linhas que passarão pela as avenidas Barão de Gurgueia ou Miguel Rosa. Já no Terminal do Livramento, o usuário terá à disposição linhas que seguirão pelo bairro São Cristóvão, Ponte Wall Ferraz ou Shoppings.

Linhas e terminais do Inthegra (Foto: Reprodução)
Linhas e terminais do Inthegra (Foto: Reprodução)

Pagamento somente com cartões

O passageiro precisa ficar atento. Com este novo modelo não é possível fazer o pagamento da tarifa no valor de R$ 2,75 em dinheiro. Agora, são aceitos apenas os cartões: Vale-Transporte (para os trabalhadores), Estudantil (para estudantes) e Expresso (para usuários em geral).

O cartão expresso pode ser adquirido com os cobradores das linhas troncais e alimentadoras nos postos de vendas instalados nos terminais Livramento e Itararé. Eles estão à venda por R$ 10 com dois créditos disponíveis.

Alguns problemas foram identificadas nos primeiros dias de adaptação. Muitos passageiros chegaram aos terminais sem os cartões ou tiveram mais de um crédito debitado. Segundo a gerência de planejamento da Strans, isso aconteceu porque foi instalado um novo equipamento de leitura dos créditos.

Os usuários que estavam sem o cartão foram liberados pelos fiscais da Strans. Em casos de cobranças indevidas, eles tiveram que acionar o Setut. “O passageiro não pode e nem vai ficar com prejuízo. Quem teve este problema pode se dirigir ao Setut que a passagem será ressarcida”, garante Vinícius Rufino.

Todos os ônibus do sistema devem receber estes novos equipamentos. O transporte mudou e agora está equipado com modem 3G e GPS, sendo o responsável por fazer o monitoramento da linha. A localização do ônibus será acompanhada através de aplicativos, como o StarBus e Moovit, que oferecem informações aos usuários, ajudando a evitar os atrasos.

Veículos novos

Outra novidade prevista no Inthegra é o uso de novos ônibus. Nesta primeira fase, somente na Zona Sudeste, foram 12 novos veículos destinados para as linhas troncais que circularão aos finais de semana e durante a semana nas linhas radiais, até que seja encerrada a fase de adaptação. Para a segunda etapa, estão previstos mais de 12 veículos.

A notícia foi comemorada pela copeira Claudia Cantuário. Para ela, é de extrema importância que o sistema de transporte público de Teresina atenda a todos os usuários sem provocar atrasos.

“Moro no Novo Horizonte, trabalho no bairro São Pedro e demoro cerca de 40 minutos para chegar ao trabalho. Se o tempo de espera diminuir e se os ônibus que virão para o Centro forem com ar-condicionado será uma mudança excelente”, disse Claudia Cantuário que trabalha como copeira.

Cerca de 20 mil passageiros devem ser beneficiados no Terminal do Itararé e outros 15 mil no Terminal do Livramento.

Linhas circulares serão extintas

As linhas circulares como Rodoviária I e II e Universidade I e II deverão serão extintas no atual sistema. O usuário terá agora que usar as linhas que farão a ligação entre os terminais das diferentes zonas da cidade.

Por exemplo, se o passageiro está no Dirceu e deseja ir para a Universidade Federal do Piauí, ele deverá pegar um ônibus no terminal mais próximo à sua casa para o terminal da Santa Isabel, Zona Leste, e de lá pegar outro para o campus da universidade, localizado no bairro Ininga.

Paradas ficaram lotadas após paralisação (Foto: Ellyo Teixeira/G1)
Usuários reclamam de lotações. Foto: Ellyo Teixeira/G1

Já as linhas diametrais, que ligam a Zona Norte a Zona Sul, por exemplo, terão uma nova distribuição. Elas não passarão pelo Centro de Teresina e o usuário deverá se deslocar aos terminais através das respectivas zonas através de novas linhas e de lá pegarão linhas alimentadoras para os outros bairros mais distantes.

Esta é uma fase posterior. Por enquanto, a Strans trabalha para fazer com o que sistema opere a contento em toda a Zona Sudeste.

“O tempo de espera se torna muito menor. Gera um impacto sim. O passageiro ainda estranha ter que descer em um terminal e pegar outro ônibus. Eventualmente ele terá que esperar este outro ônibus. Mas o tempo de espera somado ao tempo de percurso, considerando que muitas linhas foram remodeladas, se torna bem menor”, garante Vinícius Rufino.

Corredores exclusivos

Quem passou pelas avenidas Miguel Rosa, Barão de Gurgueia, João XXIII e Presidente Kennedy, percebeu que estações de passageiros vêm sendo construídas nos canteiros centrais das vias. A Avenida Frei Serafim também passará por alterações. 

 Corredores exclusivos e estações de passageiros estão em obras  (Foto: Beto Marques/G1)Corredores exclusivos e estações de passageiros estão em obras (Foto: Beto Marques/G1)

A estrutura contará com climatização e deve entrar em pleno funcionamento nos próximos meses. Nelas, o passageiro vai desembarcar nas portas esquerdas laterais, que já são encontradas em alguns veículos. Com isso, os pontos de ônibus localizados nas calçadas serão extintos.

“Esses corredores servem para dar agilidade às linhas que vêm dos terminais. Neles, só trafegam ônibus urbano municipal, sem concorrência com carros de passeio. Vamos ter paradas a cada 500 metros, com pontos mais bem estruturados e com conforto maior ao passageiro, que contará com ar-condicionado”, explica Vinícius Rufino.

A Avenida Frei Serafim, Centro de Teresina, também contara com um corredor exclusivo. A preocupação gira em torno da deterioração do canteiro central da via, tido como patrimônio da cidade.

“É necessário que se faça este corredor, pois será eliminada uma série de dificuldades que temos hoje, como a faixa semi-exclusiva que não dá uma agilidade tão eficiente. O grau de intervenção não deve ser grande e não está programado quebrar um lado inteiro do canteiro para construir os pontos de embarque e desembarque. Os pontos de embarque e desembarque serão instalados próximos aos sinais”, destaca Vinícius Ferreira. 

Terminal ja inaugurado na Zona Sudeste de Teresina (Foto: Beto Marques/G1)Terminal ja inaugurado na Zona Sudeste de Teresina (Foto: Beto Marques/G1)

Novos terminais de integração

Teresina deverá ganhar até o final do ano mais três terminais de integração, como prevê o cronograma da Strans. São eles: Bela Vista, na Zona Sul, que está praticamente pronto, e dois na Zona Norte, um no bairro Buenos Aires e outro localizado na Rua Rui Barbosa, no bairro São Joaquim.

O cronograma previa que a Zona Sul fosse a primeira contemplada. Isto porque o Terminal do Parque Piauí, teve obras paradas por conta de impasse judicial provocado pela derrubada de árvores na área a ser construída. A Strans informa que já tem autorização para o início da obra. Entretanto, ainda não visualiza o início do serviço.

A Zona Leste deve ser a última beneficiada com a mudança para o Inthegra. As mudanças deverão ser gradativas, até que os oito terminais estejam em pleno funcionamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário