sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Fortaleza: Corredores expressos de ônibus

11/10/2013 - Diário do Nordeste

O sistema de transportes públicos da Capital passará por grandes transformações, nos próximos meses, em decorrência da introdução dos corredores expressos, em fase de planejamento. São objetivos desse projeto: reduzir o tempo de viagem, aumentar a capacidade transportada e aliviar o tráfego.

Nessa proposta adicional ao Sistema Integrado de Transporte de Fortaleza reside a grande esperança de melhoria nos transportes coletivos, atualmente bloqueados nas vias públicas pela quantidade excepcional de veículos particulares. Nos últimos 20 anos, a única inovação urbana no mercado local de passageiros transportados foi a construção dos terminais de integração.

Em futuro próximo, espera-se a contribuição desse equipamento técnico aprovado nas cidades já em funcionamento. Os corredores expressos, de fato, reduzem o tempo consumido em cada viagem, pela ausência de barreiras na concorrência com automóveis particulares, motocicletas e veículos de serviços, que se movimentam no mesmo espaço.

Para vingar, entretanto, essas vias expressas exigem fiscalização intensiva, sob pena de sua invasão por guiadores desacostumados com o cumprimento das normas de tráfego. Como Fortaleza exibe questionável padrão de guiadores indisciplinados, se não houver controle, os corredores, em pouco tempo, irão se tornar campo de disputa entre transporte coletivo e carro particular.

Nos maiores centros urbanos, os embaraços da mobilidade residem na falta de espaço para acomodar o transporte público e a utilização intensa de carros privados. Nos países do primeiro mundo, o transporte público tem vencido a peleja porque eles reconhecem a prioridade para o deslocamento da população. Os veículos particulares são secundários na ocupação das vias.

A opção por essa lógica tem comprovado seu acerto com a diminuição dos custos de transporte, o aperfeiçoamento dos veículos empregados e o menor tempo gasto nas viagens. Essas vantagens são aceitas pelo nível de conscientização dos usuários dos transportes, não havendo resistência por parte dos guiadores de carros particulares.

O projeto dos corredores expressos está sendo conduzido pela Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), administradora desses serviços. Sua presente tarefa se volta para estudo sobre possíveis mudanças de linhas e itinerários conflitantes com o trajeto dos corredores expressos. Prevalece a ideia de favorecer a integração nos terminais e nos corredores.

O futuro sistema exigirá a construção de pontos de espera aparelhados para validar as operações do bilhete único e registrar a venda de passagens, encurtando o tempo de embarque; o emprego de ônibus articulado, equipado com piso baixo; a divulgação sobre os veículos e paradas diferenciadas para facilitar sua utilização pela massa transportável.

O início dos trabalhos da obra depende apenas da conclusão dos estudos setoriais. Essa medida será feita por etapas, de modo a não criar dificuldades para os usuários, como ocorreu com o Sistema Integrado. Pelas condições de insegurança da Capital, uma necessidade se impõe: a garantia de patrulhamento para os pontos de espera.

Como a movimentação de valores cobrados dos passageiros será transferida dos ônibus para os pontos de embarque e desembarque, estes se tornarão locais de risco por conta de possíveis assaltos. De todo modo, a cidade reclama brevidade na implantação dessas vias rápidas.

Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário