sábado, 17 de agosto de 2013

Desafio de Recife é evitar novo atraso na entrega das obras de mobilidade urbana

02/08/2013 - Zero Hora - Porto Alegre

Dentre as obras de mobilidade urbana imprescindíveis para a realização da Copa em Pernambuco, sete estão em execução - Foto: Reprodução / Prefeitura de Recife

Única, entre os doze palcos da Copa em que o estádio não fica na cidade-sede, Recife tem o desafio de viabilizar o acesso de torcida, imprensa e delegações à Arena Pernambuco. Na Copa das Confederações, evento doméstico comparado ao Mundial, essa tarefa mostrou-se complicada (bastante, na verdade).

Localizada em São Lourenço da Mata, a nova arena fica 19 quilômetros do Marco Zero da capital pernambucana.

Dentre as obras de mobilidade urbana imprescindíveis para a realização do evento, sete estão em execução. Dessas, duas merecem atenção especial. A Via Mangue (orçada em mais de R$ 383 milhões) e o Corredor Leste-Oeste (R$ 145 milhões). A primeira tem conclusão para abril de 2014. A segunda, fevereiro do próximo ano.

— A Via Mangue será um divisor de águas no sistema viário do Recife. Será uma via expressa, com velocidade média de 60 km/h — destaca Nilton Mota, secretário de Infraestrutura e Serviços Urbanos da cidade.

A nova avenida promete desafogar o tráfego nas proximidades da Praia de Boa Viagem, onde se concentra quase que toda a rede hoteleira do município. Em julho, o empreendimento chegou a 60% de conclusão. No entanto, preocupa porque se arrasta desde abril de 2011 — o prazo de entrega já foi adiado uma vez, de setembro deste ano para abril de 2014, e não pode ser prorrogado novamente.

Já o corredor Leste-Oeste servirá para facilitar o acesso ao estádio. Durante as Confederações, o plano de mobilidade sobrecarregando o metrô mostrou-se ineficiente. Com o novo corredor pronto, a ideia da Secretaria Extraordinária da Copa (Secopa-PE) é levar até 15 mil pessoas, via ônibus, a um terminal ao lado do estádio.

— O corredor já existe e estamos fazendo uma readaptação para o sistema de BRT — conta o secretário-executivo de Supervisão Técnica da Secopa, Silvio Bompastor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário