terça-feira, 31 de maio de 2011

Transfor anuncia segunda etapa de obras em Fortaleza

31/05/2011 - Diário do Nordeste/Transfor

Postado por Fortalbus

Túnel na Rua Eduardo Perdigão com Osório de Paiva e implantação de túnel no Anel Viário estão entre as intervenções


As obras da primeira etapa do Programa de Transporte Urbano de Fortaleza (Transfor) ainda não foram concluídas, no entanto, a Prefeitura já anuncia outro pacote de intervenções, dessa vez, o Transfor 2. A segunda etapa será licitada no fim desse primeiro semestre e prevê investimento no valor de R$ 370 milhões.

Entre as novidades, um túnel no cruzamento das avenidas Eduardo Perdigão com a Osório de Paiva, na Parangaba, considerado um dos pontos mais complicados da cidade no que se refere ao trânsito.

Outra intervenção considerada fundamental para melhorar a fluidez do trânsito nos bairros Parque Araxá e Rodolfo Teófilo, será a implantação do primeiro Anel Viário, entre a Avenida Bezerra de Menezes e Rua Padre Cícero, próximo ao trilho da Avenida José Bastos.

Reprodução: Diário do Nordeste

Ampliação

Terminal Parangaba

O Transfor 2 também irá ampliar os terminais de ônibus do Siqueira e da Parangaba e a implantação dos corredores Siqueira/Centro e do Conjunto Ceará/Centro.

Além disso, serão restauradas as avenidas Alberto Sá, Renato Braga e Hermínia Benavides, no Papicu; Desembargador Moreira, na Aldeota; Francisco Sá, no Monte Castelo; Mozart Pinheiro Lucena, Quintino Cunha; Ministro Albuquerque Lima, no Conjunto Ceará. As obras terão a duração de três anos e sua conclusão ficará para a próxima administração.

De acordo com o coordenador do Programa, Daniel Lustosa, as obras irão diminuir o tempo das viagens, os custos do transporte, o tempo de embarque e desembarque dos passageiros, aumentando a segurança no trânsito de veículos e pedestres. Dessa forma, o programa dá continuidade à política de mobilidade urbana e de valorização do transporte coletivo.


Segundo ele, os locais foram selecionados por ter uma grande demanda, para interligar as que já existem e dar acesso aos terminais, onde serão construídos bicicletários para guardar as bicicletas e permitir a integração com os ônibus.

A chefe do Departamento de Engenharia de Transportes da UFC, professora Nadja Dutra, entende que as intervenções são imprescindíveis, no entanto defende mais investimentos em veículos não motorizados como uma das alternativas mais viáveis e de curto prazo no sentido de melhorar a mobilidade urbana em Fortaleza.

Na sua avaliação, os congestionamentos e a crescente demanda de tráfego nas grandes cidades e regiões metropolitanas passaram de uma questão de segundo plano para converter-se em um dos principais problemas para os habitantes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário