terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Melhorias à vista

20/12/2010 - Tribuna da Bahia

O arquiteto e urbanista Francisco Ulisses, chefe do Setor de Planos e Projetos da Secretaria Municipal dos Transportes e Infraestrutura de Salvador, fala que o projeto do Bus Rapid Transit (BRT) vai solucionar o problema dos engarrafamentos na cidade, cuja previsão de conclusão é em 2013. Está incluído em um dos projetos da Copa do Mundo 2014, na qual Salvador será uma das cidades sede.

O urbanista explicou que estão trabalhando na elaboração do projeto RIT , que vem a ser um sistema de transporte público de massa, formado por veículos sobre rodas, de alta mobilidade, baixo custo, e com possibilidade de integração com outros sistemas e facilidade de adaptação. Tem capacidade de transportar entre 150 e 200 pessoas por viagem. Na fase inicial serão construídos 36 km de vias exclusivas na Avenida Paralela. A segunda etapa atingirá a Avenida ACM, Lucaia, Vasco da Gama, até a Estação da Lapa, no centro da cidade. Neste primeiro momento o sistema utilizará uma frota de 350 veículos.

Já o Bus Rapid Transit (BRT) é um modelo de transporte coletivo de média capacidade. Constitui-se de veículos articulados ou biarticulados que trafegam em canaletas específicas ou em vias elevadas. Várias cidades do mundo, como Curitiba e Bogotá, adotaram o BRT como um meio de transporte público mais barato de construir do que um sistema de metropolitano (metrô). “Na realidade temos este projeto com vários feixes, a rede integrada que é a restauração do sistema de transporte de Salvador, ou seja uma rede integrada de trem, de metrô e BRT, três grandes sistemas, e ainda com a restauração dos sistemas existentes. A parte do sistema viário pró-via, a criação de novas vias e duplicação”, afirmou o arquiteto.

Ele disse ainda que “a via exclusiva para ônibus vai solucionar os pontos de estrangulamento do tráfego no Iguatemi, na Vasco, próximo da antiga Coca-Cola, e no Parque da Cidade, ao mesmo tempo um sistema de alta capacidade vai solucionar os problemas de tráfego crítico na Paralela, pois todos os cruzamentos terão desníveis, através de viadutos ou de túnel”, garantiu. Sobre as medidas que seriam adotadas, na Avenida Paralela, a diretora respondeu que "o que existe é um projeto de implantação da 5ª faixa.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário