sábado, 2 de outubro de 2010

Olinda melhora transporte, mas tarifa sobe

Jornal do Commercio (PE) - 16/3/2010

A partir de hoje, as pessoas que utilizam o sistema de transporte municipal de Olinda vão dispor de um serviço melhor, com veículos novos, mais conforto e confiabilidade. Pelo menos essa é a promessa, já que a gestão do sistema agora é metropolitana, passando efetivamente ao controle do Grande Recife Consórcio de Transporte, a antiga EMTU. Vinte e cinco novos micro-ônibus, todos com equipamentos de acessibilidade, deverão substituir as velhas Kombis e vans e a frota de ônibus será renovada com 22 coletivos. Por causa das mudanças, no entanto, haverá aumento de passagem. Hoje, a tarifa passará de R$ 1,50 para R$ 1,70 e, a partir do dia 2 de maio, subirá para R$ 1,85, equiparando-se ao anel A do sistema metropolitano.

"Não podia ser diferente, até porque a passagem de Olinda estava há 62 meses sem reajuste. E para o sistema entrar no modelo do Grande Recife é necessário que a tarifa fique no mesmo valor pelo menos do anel A", explicou o presidente do Grande Recife, Dilson Peixoto.

Na prática, a entrada do transporte municipal de Olinda no sistema da Região Metropolitana representa a primeira ação concreta do Consórcio Metropolitano de Transporte, desde sua criação, em 2008. Diversos municípios da Região Metropolitana assinaram um compromisso de intenções de aderir ao modelo, mas apenas Recife e Olinda fazem parte oficialmente.

A frota de Olinda não será aumentada por enquanto, mas em compensação os seis mil passageiros que diariamente são transportados pelas Kombis e vans vão contar com inúmeros benefícios. Entre eles, acesso pleno à bilhetagem eletrônica, às gratuidades, à meia-tarifa aos domingos, e à integração com o Sistema Estrutural Integrado (SEI). Além dos veículos novos.

Os carros deverão ser a grande diferença. No lugar de andar em Kombis e vans, os passageiros vão dispor de microônibus novos, com capacidade para 21 pessoas sentadas e outras 12 em pé. Os micro-ônibus têm elevador, espaço para cadeira de rodas e até para cães-guia de deficientes visuais. "Investimos R$ 4,2 milhões na compra dos veículos e acreditamos que o número de passageiros vai, no mínimo, duplicar. Assim, além de aumentar a renda dos nossos cooperados, vamos oferecer mais conforto e qualidade à população", defendeu o presidente da cooperativa dos motoristas de Olinda, Fernando V-8.

Os passageiros, assim como os condutores do sistema, estão otimistas. "Acho que vamos ganhar. Só de deixar de andar nessas Kombis para circular em veículos novos, já é muito bom", defendeu o instrutor Igrênio de Moraes, 26 anos, que todos os dias utiliza o sistema municipal. Ontem, alguns motoristas estavam apreensivos, temendo ficar de fora do projeto. Mas segundo a cooperativa, 100 pessoas estão sendo aproveitadas e apenas 20 ficarão de fora. Mesmo assim, serão submetidas a testes de qualificação e, sendo aprovadas, entrarão para o quadro das empresas de ônibus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário