quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Natal também deve aderir ao BRT para a Copa 2014

03/10/2010 -Redação 24horasnews

Natal poderá ganhar em breve mais opção de transporte coletivo: Bus Rapid Transit. Ou apenas, BRT. O sistema consiste na utilização de corredores exclusivos para dar mais celeridade ao trânsito nas grandes cidades. A intenção de diminuir os constantes engarrafamentos na capital potiguar é cada vez mais consistente já que tanto a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob) como o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Natal (Seturn) têm projetos sobre o transporte e avaliam a possibilidade de implantá-lo em Natal até a Copa de 2014.

Diversas capitais já aderiram ao BRT, entre elas estão: São Paulo (SP), Curitiba (PR) e Goiânia (GO). Segundo o diretor de Comunicação do Seturn, Augusto Maranhão, o Ministério das Cidades está apostando nesse sistema porque detectou que as alterações no trânsito dessas cidades foram positivas. "O BRT é de fácil operação e implantação, mas é necessário que sejam criados corredores exclusivos".

Augusto lembra ainda que outro benefício do BRT é o valor de implantação que custa apenas 10% do que custaria o Veículos Leve sobre Trilhos (VLT). "Se cada quilômetro do VLT custa, por exemplo, R$ 1 milhão, para estabelecer o BRT seriam gastos apenas R$ 100 mil", comparou.

Na análise do diretor de comunicação do Seturn, se os projetos forem aprovados ainda este ano - depois de discussão em audiências públicas e aprovação popular - é possível que Natal ofereça o serviço já em 2013 durante a Copa das Confederações. O secretário adjunto de ransporte de Natal, Sílvio Medeiros, também é favorável à implantação do BRT porque o sistema possibilitaria uma maior capacidade no número de passageiros transportados diariamente e tornaria o fluxo mais ágil. "O problema do trânsito de Natal é o transporte porque a frota é muito grande. A solução para o trânsito de Natal é oferecer transporte público de qualidade, por isso estamos estudando o projeto do BRT", afirma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário